Breaking News

Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara

Por Thiago Gomes e Camila Barbosa     08/12/2016 11h09

 

Tradicionalmente, o público que vai prestigiar a manifestação religiosa é bem expressivo

Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara
Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara

FOTO: CAMILA BARBOSA

Como em todos os anos, grupos religiosos de matriz africana se reuniram, na orla da praia de Pajuçara, em Maceió, para render homenagens a Iemanjá, considerada a rainha do mar pelos adeptos do candomblé e da umbanda. Tradicionalmente, o público que vai prestigiar a manifestação religiosa é bem expressivo.

Vídeo: Camila Barbosa/Gazetaweb

Cristiano Neto é babalorixá de um terreiro de Cajueiro. O espaço é de umbanda e daquela cidade vieram mais 17 pessoas para o evento deste feriado. “Todo ano nós comparecemos para oferecer os presentes e homenagear a rainha do mar. Saímos daqui um pouco mais cedo por conta da distância. Por volta de duas e meia voltamos para casa”, informou Cristiano.

Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara FOTO: CAMILA BARBOSA
Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara
FOTO: CAMILA BARBOSA

Gazetaweb também conversou com Paulo Roberto, que é iaô de um terreiro localizado no município de Atalaia. Segundo ele, o grupo da cidade chegou às 9 horas da manhã e ainda não tinha até o mar levar as oferendas para Iemanjá. Este é o momento considerado de grande importante para os religiosos, quando se oferece os presentes à rainha do mar.
“O terreiro é formado tanto por umbandistas quanto por nagôs. Essa mistura só ajuda ainda mais no combate ao preconceito com religiões de matriz africana e permite que nós cultuemos os nossos santos. A festa é muito bonita”. Avalia Paulo Roberto.

Vídeo: Camila Barbosa/Gazetaweb

O grupo de maracatu Baque Alagoano também estava se apresentando nesta manhã de quinta-feira (8), na orla de Pajuçara. Os integrantes escolheram um repertório especial que saúda alguns orixás. Segundo os adeptos das religiões de matriz africana, a apresentação deste feriado tem um mote social muito importante, que é a defesa da diversidade religiosa.

Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara FOTO: CAMILA BARBOSA
Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara
FOTO: CAMILA BARBOSA

Juliana Alves é turista e veio de São Paulo pra aproveitar as férias com o marido. “A gente nem sabia que era feriado religioso. Lá em São Paulo não é. Estamos escantados com a festa, nunca tinha visto. As rodas chamam bastante atenção”, comenta a turista.

Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara FOTO: CAMILA BARBOSA
Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara
FOTO: CAMILA BARBOSA

 

Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara FOTO: CAMILA BARBOSA
Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara
FOTO: CAMILA BARBOSA

 

Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara FOTO: CAMILA BARBOSA
Grupos de matriz africana rendem homenagens a Iemanjá na orla de Pajuçara
FOTO: CAMILA BARBOSA

 

 

Extraído da versão digital da gazetaweb
http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia.php?c=23542

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *