Breaking News

Guarujá apresenta programação da 10ª Festa de Iemanjá  

O evento se tornou tradicional na Cidade e congrega as religiões de matrizes africanas

Assessoria de Comunicação

 

Para celebrar um dos orixás mais populares das religiões de matrizes africanas, a Prefeitura de Guarujá prepara a 10ª Festa de Iemanjá. O evento é coordenado pela Secretaria Municipal de Cultura e os terreiros de umbanda e candomblé do Município. A iniciativa já se tornou tradicional na Cidade e congrega as religiões de matrizes africanas. A festa acontece na Praia da Enseada, em frente a Praça Horácio Lafer, em 2 de fevereiro, a partir das 17h30.

De acordo com o secretário municipal de Cultura, Odair Dias Filho, a Festa de Iemanjá também tem como caráter o combate á intolerância religiosa e étnica. Esta luta é comemorada em todo o Brasil no dia 21 de janeiro, como o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Neste contexto, o secretário pontua que “a programação vai além da festa, pois a Prefeitura traz seminários, discussões e outras atividades de valorização à cultura afro-descendente por três dias, abordando palestras, históricos de terreiros, arte, culinária, moda e apresentações”, ressaltou Odair.

 

Evento se tornou tradicional na Cidade e congrega as religiões de matrizes africanas (Foto: Roberto Sander/PMG)
Evento se tornou tradicional na Cidade e congrega as religiões de matrizes africanas (Foto: Roberto Sander/PMG)

A abertura com ato solene será em 31 de janeiro, às 19h30, na Praça Horácio Lafer, na Enseada, com grande roda e apresentações culturais. Já no dia 1º de fevereiro, às 18 horas, haverá apresentações de capoeira, Afoxé Motumbaxé, Afro Ketu e palestras.

No dia 2, quando é celebrado o Dia de Iemanjá, às 17h30 haverá apresentação de capoeira e, a partir das 19 horas, a concentração de fé com a chegada dos terreiros com cânticos e louvores para iniciar a procissão de Iemanjá.

História – Iemanjá é uma divindade africana das religiões candomblé e umbanda, um orixá. Sua festa é celebrada em 2 de fevereiro e ela é considerada a padroeira dos pescadores e seu nome vem de “Yèyé omo ejá”, do idioma yorubá. O significado é “mãe cujos filhos são como peixes”. Sua festa é bastante popular e os fiéis costumam levar presentes e oferendas, como flores, perfume, sabonete, espelho e bijuteria, que são lançados ao mar.

 

guarujaA responsabilidade desta matéria é da prefeitura de Guarujá.

 

Extraído do site do Jornal Diário do Litoral / Guarujá-SP
http://www.diariodolitoral.com.br/conteudo/49929-guaruja-apresenta-programacao-da-10-festa-de-iemanja

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *