Breaking News

Henri Castelli desabafa contra intolerância religiosa após caso de menina agredida com pedrada

Ator usou o Instagram para pedir o fim da agressividade religiosa e política. Em janeiro, sua ex reclamou de Castelli ter vestido a filha caçula de mãe de santo

 

19/06/2015 09h40 – ATUALIZADA EM: 19/06/2015 11h18 – por Redação Marie Claire

 

HENRI CASTELLI FAZ DESABAFO CONTRA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA NA INTERNET (FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM)
HENRI CASTELLI FAZ DESABAFO CONTRA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA NA INTERNET (FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM)

Henri Castelli usou uma rede social para protestar contra o caso de uma menina candomblecista agredida ao sair de um culto no domingo (14) no Rio ao levar pedradas de um grupo de evangélicos.

“Por que tanta agressividade? Vamos nos respeitar e nos amar independente de raça, classe social, religião ou opinião política”, escreveu na manhã de hoje em seu perfil do Instagram.

“Vamos colocar de verdade a mão na consciência e colocar Deus no coração. Ninguém é melhor que ninguém, somos todos irmãos, iguais perante a Deus. Espero do fundo do coração que um dia isso acabe e que tenhamos mais amor e paz no coração. Amo todos vocês. E Deus também”, disse.

 

O ator citou Jesus Cristo para defender o respeito mútuo entre pessoas de diferentes crenças no Brasil. “Que Deus é esse que está dentro das pessoas que praticam intolerância e preconceito? Nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou a ter amor ao próximo, amar nosso semelhante, praticar a verdadeiraa caridade, ajudar uns aos outros”.

Além disso, Castelli criticou a discriminação racial que ainda acontece pelo país. “Oracismo e o preconceito são provas do quanto ainda somos primitivos”, concluiu. O ator citou também uma frase de Nelson Mandela para explocar a origem o ódio entre raças.

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar.”

Não é a primeira vez em que o global se posiciona ao falar de religião. Em janeiro deste ano, ele vestiu sua filha caçula, Maria Eduarda, que completou 1 ano, de mãe de santo. Mas a mãe da menina, Juliana Despírito, não gostou e usou a rede social para reclamar. “Minha filha foi presente de Deus. Ela não pertence a nenhum outro espírito que não seja o Espírito Santo de Deus! Ao invés de falar de amor e bondade, seja de verdade! Pare de fingir ser o que você não é”, escreveu ela.

 

ASTRID

A apresentadora do “Saia Justa”, Astrid Fontenelle, usou seu Instagram para, também, protestar contra a agressão da jovem no Rio.

“Há tempos visto branco às sextas-feiras. E por que? Porque o branco é a cor de Oxalá, a cor da Paz. Uso em sinal de respeito e acreditando que esse é o mundo que estou construindo pro meu filho. Parece que não tem dado certo. Mas não desistirei! Diga não ao preconceito religioso. Eu visto o branco da Paz, e você???”, disse.

 

 

Extraído da Revista Marie Claire / São Paulo – SP
http://revistamarieclaire.globo.com/Celebridades/noticia/2015/06/henri-castelli-faz-desabafo-contra-intolerancia-religiosa.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *