Breaking News

Ideli participa de Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa

 
image
Durante o evento, a ministra defendeu a criação de comitês estaduais de diversidade. Foto: Marcelo Murteira.
  22/09/2014 Apesar do mau tempo, mais de 5 mil pessoas saíram à Orla de Copacabana, no Rio de Janeiro, neste domingo (21) para defender a diversidade religiosa. Com o tema “É caminhando que a gente se entende”, a Sétima Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa percorreu um trajeto de cerca de três quilômetros entre o Posto 6 e o Posto 3. A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Ideli Salvatti, acompanhou a caminhada – que contou com a participação de lideranças religiosas de todos os credos, bem como de pessoas sem religião e defensores do Estado Laico. Durante o ato, a ministra destacou a importância da criação do Comitê Nacional de Liberdade Religiosa, bem como a necessidade de comitês estaduais. "Uma de nossas principais é estimular a criação dos comitês estaduais”, frisou. “Esses comitês estaduais poderão intervir nas violações que ocorrem nas comunidades locais e assim avançar na garantia do Estado Laico". Comitê – O Comitê Nacional de Respeito à Diversidade Religiosa foi instaurado em janeiro no âmbito da Secretaria com o intuito de promover o direito ao livre exercício das diversas práticas religiosas, disseminando uma cultura da paz, da justiça e do respeito às diferentes crenças e convicções. O colegiado é composto por 20 representantes, sendo 10 suplentes e 10 titulares do governo e da sociedade civil para um mandato de dois anos. Ele tem como finalidade auxiliar a elaboração de políticas de afirmação do direito à liberdade religiosa, do respeito à diversidade religiosa e da opção de não ter religião. Caminhadas – Esta foi a sétima edição da Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa – cujo objetivo é promover a liberdade religiosa para todas as comunidades e grupos do país, especialmente aos que mais sofrem discriminação, preconceito e desrespeito ao direito constitucional a cultos e rituais. Desde 2011, o Disque Direitos Humanos – Disque 100 – recebeu 466 denúncias de violação do direito à liberdade religiosa. O Estado de São Paulo é o que mais violações registrou (98 casos, ou 21% do total), seguido pelo Rio de Janeiro (86 casos, ou 18% do total).   Assessoria de Comunicação Social www.sdh.gov.br https://www.facebook.com/direitoshumanosbrasil   Extraído do site oficial da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República http://www.sdh.gov.br/noticias/2014/setembro/ideli-participa-de-caminhada-em-defesa-da-liberdade-religiosa

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *