Breaking News

Igreja Universal irá responder acusação sobre suposta intolerância religiosa

Grupos de religiões afro-brasileiras estão preocupados com os “Gladiadores do Templo”

por Leiliane Roberta Lopes

 

 

 

download
IURD irá responder sobre suposta intolerância religiosa

 

As falsas informações de que os “Gladiadores do Altar” seriam uma milícia armada preocupou alguns grupos de religiões afro-brasileiras de Minas Gerais. Por conta disto a Procuradoria da Republica naquele estado resolveu convocar a Igreja Universal do Reino de Deus para uma audiência pública.

Representantes do candomblé e umbanda estarão nesta reunião para discutir a intolerância religiosa dos fiéis da IURD para com os membros dessas religiões.

Uma carta-denúncia contra os Gladiadores foi entregue ao Ministério Público Federal (MPF) na terça-feira (14) mostrando que esses grupos religiosos estão com medo de serem atacados pelos jovens, formados para prestarem serviços sociais segundo informações da própria igreja.

O vídeo dos jovens marchando como soldados e repetindo frases como “dar a vida em favor dos perdidos” e “prontos para a batalha” amedronta membros de religiões afro-brasileiras. O babalaô Ivanir dos Santos diz que a IURD já tem histórico de perseguição contra candomblé e umbanda.

“O vídeo [dos Gladiadores] é um agravante, que nos preocupa diante do histórico de perseguição e disseminação de ódio que essa igreja já tem conosco”, diz o candomblecista.

O procurador Edmundo Netto Dias acredita que o vídeo dos jovens marchando representa um ato criminoso de preconceito. “A princípio, o vídeo mostra a realização de um ato criminoso, de preconceito religioso”, afirma Dias.

Por diversas vezes a IURD precisou esclarecer que os Gladiadores não possuem treinamento militar e que não ensinados para agir com ódio ou violência. Os jovens que fazem parte do grupo são aspirantes ao trabalho pastoral e trabalharão com os projetos sociais e evangelísticos da igreja.

“A falsa polêmica é fruto de um lamentável mal-entendido da internet, alimentado pelo desconhecimento de muitos e pelo preconceito de alguns”, diz nota da denominação. Com informações O Tempo

 

Extraído do portal de notícias Gospel Prime
http://noticias.gospelprime.com.br/iurd-ministerio-publico-intolerancia-religiosa/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *