Breaking News

ÌTÀN: ” ÒRÚNMÌLÀ RECEBE DE OBÁTÁLÁ O TÍTULO DE BÀBÁLÁWO “

Publicado por Célia Cristina Martins Almeida em 2 março 2014 às 20:32 em Tópicos de temas diversos

Fazia muito tempo que Obátálá admirava a inteligência de Òrúnmìlà.

Em mais de uma ocasião, Obátálá pensou em entregar à Òrúnmìlà, o governo do mundo, em entregar o governo dos Segredos, os segredos que governam o mundo e a vida dos homens. Mas, quando refletia sobre o assunto, acabava desistindo.

Òrúnmìlà, apesar da seriedade de seus atos, era muito jovem para missão tão importante.

Um dia, Obátálá quis saber se Òrúnmìlà era tão capaz quanto aparentava e lhe ordenou que preparasse a melhor comida que pudesse ser feita.

Òrúnmìlà então, preparou uma “língua de touro”, onde Obátálá a comeu com prazer. Assim, Obátálá perguntou por qual razão a língua de touro era a melhor comida que havia. E Òrúnmìlà respondeu:

_” Com a língua se concede àsé, se ponderam as coisas, se proclama a virtude, se exalta as obras, e com seu uso, os homens chegam à vitória.”

Após algum tempo, Obátálá pediu à Òrúnmìlà para preparar a pior comida que houvesse. Este preparou a mesma iguaria, a “língua de touro”.

Surpreso, Obátálá lhe perguntou, como era possível que a melhor comida que havia, fosse agora a pior? Òrúnmìlà respondeu:

_ ” Porque com a língua, os homens se vendem e se perdem; com ela se destroem a boa reputação, e se cometem as mais repudiáveis vilezas.”

Obátálá, ficou maravilhado com a inteligência e a precocidade de Òrúnmìlà, e entregou à Ele o ” governo dos segredos “, ficando nomeado por isso de BÀBÁLAWO, palavra da língua dos Òrìsà, que quer dizer ” Pai-do-Segredo “.

Òrúnmìlà foi o primeiro Bàbálawo que surgiu na Terra.

unnamed (1)

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Ilé Asé Omin Oiyn, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Hoje, é editor do Jornal Awùre. Diretor Financeiro da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. Colabora com a assessoria de comunicação do PPLE - Partido Popular da Liberdade de Expressão Afro-Brasileira. É sócio diretor na agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *