Breaking News

Lavagem das escadarias simboliza paz e respeito entre as religiões

O ritual aconteceu na Igreja do Rosário e São Benedito

 

25.06.2017 | 08h37

DA REDAÇÃO 

Lavagem da escadaria aconteceu no último sábado (24). Reprodução

Na manhã deste sábado (24.) a cuiabania presenciou, depois de 18 anos, o ritual de lavagem das escadarias da Igreja do Rosário e São Benedito.

Desta vez, o ato veio com o incremento da presença de líderes da Umbanda e Candomblé, simbolizando a paz entre as religiões de matriz africana e a Igreja Católica.

O padre Marco Antônio pontuou a necessidade de congregar esse espírito de paz, através da união entre todos.

“Somos bombardeados há anos com a ideia de que a religião induz a guerra, induz a violência e nós somos exatamente contrários a isso. Deus é um só, pai da humanidade, e só quer a paz e felicidade das pessoas”.

Ele conta que essa é a segunda vez que o ritual ocorre, de forma bem mais ampla que sua primeira edição em 1999.

“Hoje essa proposta foi pensada com várias cabeças. Eu tenho a graça e a satisfação de liderar esse movimento que resgata a história da devoção a São Benedito, que foi, sobretudo, cultuada pelos afrodescendentes. Essa memória e carinho cresceu tanto que suplantou, ao longo desses quase três séculos, a devoção à própria padroeira da paróquia, que é Nossa Senhora do Rosário. Então, com esse gesto simbólico da lavagem das escadarias do Rosário nós queremos trazer essas outras instituições, religiões de matriz africana e todas as denominações religiosas, para junto de nós e fazer essa festa da paz, afinal de contas, Deus não é propriedade de ninguém”, disse o pároco.

O secretário-chefe da Casa Civil, José Adolpho de Lima, esteve no local representando o Governo do Estado e participando da cerimônia.

“O Governo do Estado não poderia deixar de estar junto nesse momento histórico. A festa de São Benedito é culturalmente muito importante para a cidade e esse evento está resgatando a cultura de Cuiabá, essa integração dos povos e trazendo essa cultura afrodescendente para junto da igreja católica. Esse resgate é muito importante”, pontuou o secretário.

O Pai Paulo Henrique de Oxumaré, representante do candomblé, explica que a união da igreja católica e os povos da matriz africana é muito antigo, e que agora passa por esse resgate em Cuiabá.

“A lavagem rememora a ancestralidade. Água é vida, é purificação. As flores relembram as mulheres, que são o palco de tudo no candomblé. Então nós entendemos que esse é o momento da cultura, assim como o resgate espiritual entre os povos, praticando a paz e o amor entre todos” disse o líder espiritual.

 

 

Extraído do portal de notícias Mídia News / Cuiabá – MT
http://midianews.com.br/cotidiano/lavagem-das-escadarias-simboliza-paz-e-respeito-entre-as-religioes/299713

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *