Breaking News

Líder dos Ateus, militante do PT promete queimar bíblia em frente a sala da reitoria da Ufac

Zanon é formado em história e estuda o 3º período do curso de Direito da Universidade Federal do Acre (Ufac).

Publicada em 07/05/2015 às 12:17

 

 

 

 

Ateu, Zanon tem uma extensa ficha de problemas com a lei
Ateu, Zanon tem uma extensa ficha de problemas com a lei

 

Em entrevista a reportagem do ac24horas, o organizador da 4º edição do Encontro Nacional de Ateus (ENA), Felipe Zanon, explica que o ato de queimar a bíblia sagrada não tinha como objetivo incitar qualquer sentimento de intolerância religiosa, mas de repudiar “o mal causado pela igreja no que diz respeito aos massacres ocorridos ao longo da história do cristianismo”. Ele diz não ter presenciado o ato, mas autorizou o feito. Zanon é formado em história e estuda o 3º período do curso de Direito da Universidade Federal do Acre (Ufac).

A reportagem tentou contato com o autor do ato, o estudante do curso de filosofia e vocalista da banda Violação Anal, Roberto Oliveira, mas não obtivemos resposta. Ele queimou um exemplar da bíblia em meio a apresentação da sua banda, na 4º edição do Sara(te)u – Uma noite dionisíaca realizada na Ufac.

Questionado quanto ao fator fé x intolerância religiosa, Felipe Zanon é categórico: “Eu acredito em mim mesmo, no que sou, no que posso! Respeito os demais, suas crenças…Não temos problema nenhum em quem crer ou não em Deus. Nós buscamos a laicidade do Estado, queremos um estado sem religião, todos merecem o mesmo respeito, inclusive falam em perseguição, mas nós é quem sofremos perseguição por sermos ateus, porque somos minoria. Nossos cartazes foram rasgados aqui nas dependências da Ufac, até o outdoor com a divulgação do nosso evento foi retirado”.

Com relação aos atos de depredação ocorridos no dia do evento, Zanon destacou que não é a primeira vez que isso ocorre e que outros eventos culturais ocorriam na mesma noite, não podendo, segundo ele, a culpa recair sobre os frequentadores e organizadores do Sara(te)u . Ele alega que em eventos anteriores atos de vandalismo e brigas sempre ocorrem, porém a administração da universidade nunca havia tomado nenhuma medida cabível e diz se sentir perseguido.

“Somente agora a reitoria da Universidade Federal do Acre decidiu tomar uma atitude mais drástica, aproveitaram o que aconteceu (queimação da bíblia) para pegar carona e nós colocarem como culpados”, disse Felipe Zanon, que aproveitou para mandar um recado nada amistoso ao reitor da Ufac, Minoro Kimpara. “Se a reitoria não aclarar e rever a situação que levou a suspender os eventos, bem como a real motivação acerca da proibição de novos eventos musicais, eu mesmo vou tocar fogo em outra bíblia, desta vez na frente da reitoria. Daí sim, terão motivos para me culpar realmente porque até agora estou sendo culpado por algo que não fiz”.

Por fim, Zanon explica que o evento não contou com o patrocínio, nem apoio de políticos. Ele afirmou que alguns foram convidados para o debate que antecedeu a programação, no dia 30 de abril, mas que alguns deles não puderam comparecer ao evento, onde seriam palestrantes, entre eles, Francisco Nepomuceno, o Carioca do PT, que cancelou sua participação no debate devido a agenda governamental.

Conhecido por fazer parte de uma das alas mais radicais do PT no Acre, Felipe Zanon, que é estudante de direito na Universidade Federal do Acre, já foi policial militar, mas foi expulso da corporação por indisciplina.  Em julho do ano passado,  o petista foi preso preventivamente acusado de agredir e chantagear garotas com vídeos íntimos. Ao menos quatro jovens, com idades entre 16 e 21 anos, denunciaram o rapaz.

Autor: www.ac24horas.com
Fonte: www.ac24horas.com

 

Extraído do site do jornal O Nortão / Porto Velho-RO
http://www.onortao.com.br/noticias/lider-dos-ateus-militante-do-pt-promete-queimar-biblia-em-frente-a-sala-da-reitoria-da-ufac,41021.php

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *