Breaking News

Lonas culturais apresentam cultura afro a partir de março por R$ 1,00

UM GRIOT NO MEU BAIRRO, a partir de 17 de Março, em diversas Lonas e Arenas cariocas,com ingresso, por R$ 1,00

  DSC_9601x - CopiaUM GRIOT NO MEU BAIRRO, utiliza referências do estudo da história das muitas etnias que formaram o povo carioca, o GRIOT Macedo fará uma ponte entre passado e presente através de CONTAÇÃO DE HISTÓRIA que une música, teatro, bonecos e outros elementos cênicos. A riqueza de culturas, sob o ponto de vista de cada bairro. Fortalecendo a autoestima de cada um, na medida em que se reconhecem e identificam quais são os atores sociais de relevância para a construção e vivência dos bairros cariocas. O projeto atinge diversas regiões, passeia pelo circuito de Lonas Culturais e Arenas Cariocas. A cada apresentação um olhar específico para as especificidades de cada bairro, reforçando as diversas identidades e territorialidades, tão importantes para o entendimento do nosso hibridismo cultural. ​​Como cada bairro revela uma curiosidade, Macedo vai de encontro a casos interessantes. Em Pavuna, o griot abre o projeto e irá transcorrer e contar que é o lugar mais antigo que a própria cidade do Rio de Janeiro, inspira a modernidade da música popular. Na Lona João Bosco, em Vista Alegre, será abordado a ocupação indígena ao conjunto habitacional que ensinou o Rio a viver melhor... Madureira, lá, laiá. Madureira, lá, laiá..... A Arena Fernando Torres, vai descobrir o porquê que é o coração do sertão carioca é o cenário do sonho de um boiadeiro que deu origem ao bairro mais famoso da Zona Norte. Em Guadalupe, a tema principal será a Fazenda Boa Esperança, e como se tornou o maior laboratório de moradias populares, as margens do Rio Sapopemba. Já em Pedra de Guaratiba, o assunto será baseado na história que os Tupinambás guardaram, como 2 irmãos herdaram a antiga Fazenda da Pedra, onde resultou em um dos lugares mais bonitos da Baia de Sepetiba... Em Santa Cruz, antes do descobrimento da América os Tupis Guaranys chamavam de Piracema (muito peixe), abrigou a família Real portuguesa e ajudou a sustentar a riqueza da antiga Capital... E pra fechar, a Arena Dicró, na Penha, será revelado como a região do manguezal que os indígenas chamaram MARIANGU, um milagre dá origem ao bairro que abrigou romarias e expressões de fé. Essas e muitas outras histórias são aprestadas de forma sublime e magistralmente por Macedo - “O Griot”.

“O Projeto lança mão dessa oralidade ancestral para propiciar uma

viagem no tempo e na história do logradouro envolvendo o espectador em

uma atmosfera de encantamento, curiosidade, música e reflexão

 em torno da história do “lugar que a gente vive”,

afirma Macedo Griot, mentor do projeto.

  Na tradição africana, são os Griots, que transmitem a história de um povo ao longo dos tempos.  

Com curadoria de Haroldo Costa “O nosso Griot familiariza as

crianças e os mais jovens, com a realidade brasileira e o que ela pode nos

oferecer para despertar a alegria de viver, no âmbito do trabalho e

na construção de uma vida saudável e útil para a comunidade.

O Griot é mensageiro da esperança”, atesta o historiador. 

  Apoio e Parcerias - O Projeto Cultural de Teatro/ Contação de História contemplado no Edital Viva a Arte! da Secretaria Municipal de Cultura – RJ que terá circulação nas Lonas Culturais e Arenas Cariocas da cidade do Rio. Com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura RJ / Fomento. Com coordenação geral de Lene DeVictor e produção Executiva: Danielle Vieira. O projeto é ciceroneado por Macedo Griot, que é um artista de múltiplas linguagens a serviço do resgate da memória oral das comunidades do Rio. É o único poeta da Baixada Fluminense, que figura em uma coletânea “CARAS DO RIO /95”, onde constam nomes como o de Mário Lago (Prefácio), Ferreira Goulart, Ledo Ivo, Paulo César Pinheiro, entre 100 poetas da cena carioca. Seu trabalho é essencialmente autoral, primando pelo ecletismo e linguagem popular que, por isso, encontra boa receptividade tanto nas comunidades, quanto nas universidades, teatros e associações por onde se apresenta ou com as quais estabelece vínculo. Em 2013 iniciou o ”Projeto Nilópolis, a gente já tem 100 anos” lançando mão da Contação de Histórias, abordando o Centenário de surgimento de Nilópolis, percorrendo praças e logradouros para levar histórias que perpassavam a narrativa oficial dos anais do município. DSC_9681x   Dia: 17 de março (quinta) Arena Jovelina Pérola Negra Apresentação às 14h Endereço: Praça Ênio – Pavuna Tel: 2886 3889 Capacidade: 320 lugares   Dia: 31 de março (quinta) Lona João Bosco Apresentação às 14h Endereço: Avenida São Félix, 601  - Vista Alegre Tel: 2482 4316 Capacidade: 320 lugares Dia: 1 de abril (sexta) Arena Fernando Torres Apresentação às 14h Endereço: Rua    Bernardino    de    Andrade,    200  – Madureira Tels: 3495 3078 / 3495 3093 Capacidade: 320 lugares   Dia: 7 de abril (quinta) Lona Terra Apresentação às 14h Endereço: Praça Edson Guimarães s/nº - Guadalupe Tels: 3018 4203 / 3287 0921 Capacidade: 320 lugares   Dia 14 de abril (quinta) Arena Carioca Abelardo Barbosa Apresentação às 14h Endereço: Rua Soldado Elizeu Hipólito s/nº - Pedra de Guaratiba Tel: 3404 7980 Capacidade: 320 lugares   Dia 28 de abril (quinta) Lona Sandra de Sá Apresentação às 14h30 Endereço: Praça do Lote, 219 - Santa Cruz Tel: 3395 1630 Capacidade: 320 lugares   Dia 5 de maio (quinta) Centro Cultural Professor Dyla Sylvia de Sá Apresentação às 14h Endereço: Rua Barão, 1180 – Praça Seca Tel: 3833 4769 Capacidade: 250 lugares   Dia 19 de maio (quinta) Arena Dicró Apresentação às 15h Endereço: R. Flora Lôbo - Penha Circular Telefone: 3486 7643 Capacidade: 320 lugares   Duração de 1h Faixa Etária: livre Valor simbólico, por R$ 1,00
Faixa Etária: livre
Foto de Danilo Sérgio
Fonte: ASCOM
Rozangela Silva Sócia Diretora Bi & Ro Assessoria de Comunicação

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *