Breaking News

Macaé, RJ, abre inscrições do I Festival de Dança Africana e Afro

Processo deve ser realizado pela internet até o dia 15.
Cada escola pode incluir uma coreografia com até oito participantes.

Do G1 Região dos Lagos | 07/10/2015 15h05 – Atualizado em 07/10/2015 15h05

 

 

Estão abertas as inscrições para o 1º Festival Municipal de Dança Africana e Afro-brasileira de Macaé, no interior do Rio. O festival acontece no dia 26 de novembro, às 13h, no Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho. A confirmação deve ser feita até o próximo dia 15. Cada escola poderá inscrever uma coreografia com no máximo oito participantes.

As inscrições devem ser feitas no site da Prefeitura, no qual deverão ser indicados os gêneros de dança: africanas ou afro-brasileira. O festival é direcionado aos alunos da educação infantil do primeiro ao nono ano do ensino fundamental e do ensino médio. Segundo a organização o festival, um dos principais objetivos é estimular a criatividade individual e coletiva, com desenvolvimento e competências culturais por meio da produção de coreografias de danças.

De acordo com o regulamento, cada coreografia poderá ter no máximo cinco minutos. O grupo que exceder será penalizado com a perda de um ponto a cada dez segundos de atraso. Para avaliar as escolas participantes será formada uma comissão julgadora que vai pontuar a criatividade, empatia, domínio coreográfico, interpretação e fidelidade histórico-cultural.

Todos os participantes do Iº Festival Municipal de Dança Africana e Afro-brasileira de Macaé receberão certificado. Também serão distribuídas medalhas para todos os integrantes do grupo, coreógrafo e troféus para as escolas.

 

 

Extraído do portal de notícias G1 / Região dos Lagos – RJ
http://g1.globo.com/rj/regiao-dos-lagos/noticia/2015/10/macae-rj-abre-inscricoes-do-i-festival-de-danca-africana-e-afro.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *