Breaking News

Mãe de Santo brasileira é vítima de crime virtual em Portugal

Mãe Kátia de Ogum está em Lisboa, onde registrou uma queixa-crime na polícia da cidade

© Reprodução 

BRASIL 15:45 – 04/07/17POR NOTÍCIAS AO MINUTO

MÃE KÁTIA

Mãe Kátia do Ogum, uma das mais conhecidas Mães de Santo do Brasil, foi vítima de um crime virtual, cometido em Portugal. As suas fotos estampam um site do país, chamado ‘Trago seu amor de volta’, onde uma pessoa que se intitula ‘Kabinda’ promete realizar ‘amarrações’ que resultam em três dias. Por ser reconhecida mundialmente, sua imagem é facilmente identificada por quem busca ajuda no Candomblé. 

A história chegou aos ouvidos de Mãe Kátia quando uma portuguesa entrou em contato ao ter contratado o serviço do site e percebido que se tratava de um golpe. A vítima, no entanto, preferiu não registrar queixa. 

Quando verificou que todas as imagens usadas no site eram mesmo suas, Mãe Kátia foi para Lisboa. Nesta segunda-feira (03), ela foi até a polícia e registrou uma queixa-crime. O site está hospedado nos Estados Unidos e os serviços são oferecidos em toda a Europa. Até o fechamento desta matéria, continuava no ar. 

“É triste pois a pessoa já procurou o serviço por precisar de ajuda e ainda é vítima de um golpe”, disse ao Notícias ao Minuto. Agora, ela aguarda que os fatos sejam apurados e, assim, seja aberto um inquérito. 

Mãe Kátia está realizando uma turnê europeia e, na próxima semana, estará na Itália, onde receberá um prêmio dado pelo Itamaraty aos brasileiros que se destacam no exterior. 

 

 

Extraído do portal de notícias Notícias ao Minuto
https://www.noticiasaominuto.com.br/brasil/410616/mae-de-santo-brasileira-e-vitima-de-crime-virtual-em-portugal

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *