Breaking News

Ministério promove seminário sobre cultura digital afro

Intuito da iniciativa é inaugurar o processo de articulação em rede dos projetos contratados no âmbito do edital Preservação

 

por Portal BrasilPublicado: 01/12/2014 15h15Última modificação: 01/12/2014 15h15

 

O Ministério da Cultura (MinC), em parceria com a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), irá realizar, entre os dias 4 e 6 de dezembro, em Recife, o Seminário Oficina Afro Digital.

O evento tem como objetivo inaugurar o processo de articulação em rede dos projetos contratados no âmbito do  edital Preservação e acesso aos bens do patrimônio Afro-Brasileiro, além de apresentar e debater questões importantes em prol de uma política nacional para acervos digitais.

O edital Preservação e acesso aos bens do patrimônio Afro-Brasileiro é uma iniciativa do MinC em parceria com a UFPE e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), e em articulação com a Rede Memorial. Com investimento inicial de R$ 1,7 milhão, o edital selecionou projetos de coleta, resgate, recuperação, conservação e disponibilização de acervos para o acesso público em meio digital.

O foco são acervos de interesse científico e cultural de bens do patrimônio afro-brasileiro. O objetivo é ampliar a disponibilidade e acessibilidade para pesquisadores e para a sociedade civil. “A maximização de oportunidades para geração de conhecimento novo a partir desses acervos disponibilizados é objeto fundamental desta iniciativa”, destaca o coordenador-geral de Cultura Digital do MinC, José Murilo.

O evento contará com a participação de representantes dos projetos selecionados no âmbito do edital, que cumprirão agenda de oficinas com atividades para articular e sintonizar o processo de digitalização, catalogação e publicação das coleções e acervos envolvidos nos projetos.

Na dimensão técnica, o encontro objetiva desenhar um modelo de desenvolvimento de padrões que irão permitir a interoperabilidade entre os diversos acervos digitais em diferentes formatos (textual, iconográfico, áudio, vídeo, objeto 3D).

A ênfase deve ser no esforço de compatibilização dos diferentes modelos de catalogação e no desenvolvimento dos vocabulários e ontologias demandados pelos novos esquemas de classificação de conteúdos para o acesso digital (dados interligados / linked data).

Entre as novidades propostas pela iniciativa está a introdução do conceito de Curadoria em Rede para acervos digitais. Tal conceito enfatiza o papel central que usuários da web, em seus mais diversos níveis de especialização técnica, passam a desempenhar na classificação, contextualização e visibilidade das coleções digitalizadas disponibilizadas na internet.

Fonte:

Ministério da Cultura

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative CommonsCC BY ND 3.0 Brasil

Extraído do Portal Brasil / EBC
http://www.brasil.gov.br/cultura/2014/12/ministerio-promove-seminario-sobre-cultura-digital-afro

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *