Breaking News

Moedas de ouro ofertadas a Iyemanjá por Eike atiçam a cobiça de garimpeiros do mar

2016-892816175-201603011557249529_201603012-   Geraldo Ribeiro | 02/03/16 06:00   A notícia de que o empresário Eike Batista jogou 700 moedas de ouro no mar, para Iyemanjá, já vem provocando corrida ao tesouro nas areias de Ipanema, onde o ex-bilionário despachou a oferenda, com o pedido de voltar aos tempos áureos. Estimadas em R$ 700 mil, as moedinhas douradas atiçam a cobiça de quem vive de garimpar objetos devolvidos à praia pelas ondas. — Se encontrasse, colocava o boi na sombra. Comprava duas casinhas: uma para morar e outra para alugar e ia viver de renda — sonha André Batista da Silva, de 41 anos, morador de Ramos. 2016-892818102-201603011604369573_20160301 Com a experiência de quase duas décadas de praia, Oswaldo de Oliveira, de 52 anos, diz ser mais fácil acertar na Mega-Sena do que uma pessoa sozinha encontrar todas as moedas atiradas ao mar pelo ex-bilionário. Mesmo assim, o morador de São Gonçalo deixa escapar um devaneio: — Aqui em Ipanema, R$ 700 mil não dá para comprar nem um quarto e sala, mas, no Mutuá, onde moro, dava para levar vida rei. Já com o pé em terra firme, o caçador de tesouros acrescenta que se achasse pelo menos dez moedinhas douradas tirava uns dias de folga. Ele bate ponto no Arpoador, e fica lá por sete horas. Sua última grande maré de sorte foi em 2000, quando, num único mês, garimpou cerca de 1kg em ouro, que renderam, segundo ele, R$ 90 mil. 2016-892816151-201603011557179527_20160301 — No mar não há crise. Ele é que dita o nosso ritmo financeiro — ensina o veterano das areias, que não tem medo de ser punido pela Rainha do Mar, se, por acaso, encontrar e se apoderar das oferendas destinadas à ela. Na Retratos da Vida, vidente diz que espíritos do Hotel Glória atormentam Eike. Dicas aos pescadores 2016-892817605-201603011602099564_20160301 Persistência, dedicação e saber respeitar o mar são as dicas dos mais experientes. A melhor época para garimpar é no verão e períodos de ressaca. No dia seguinte ao réveillon, a garimpagem também costuma dar bons frutos. Uma espécie de ancinho, conhecido como rapina é a ferramenta mais usada. Alguns investem em detectores de metais e equipamentos de mergulho. Segundo os garimpeiros, há grande chance das moedas de Eike serem encontradas entre Ipanema e Leblon. Extraído do site do Jornal Extra / Rio de Janeiro - RJ Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/moedas-de-ouro-ofertadas-iemanja-por-eike-aticam-cobica-de-garimpeiros-do-mar-18784641.html#ixzz41n0WFEaK

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *