Breaking News

Monumento da Pedra de Xangô é tombado pela Prefeitura de Salvador

Pedra é considerada elemento de resistência cultural e aglutinador da teia de terreiros do conjunto de bairros de Cajazeiras, na capital baiana.

 

 

Por G1 BA

04/05/2017 15h52  Atualizado há 2 horas

Pedra de Xangô foi tombada pela Prefeitura de Salvador (Foto: Giana Mattiazzi/TV Bahia)

Considerada um monumento sagrado pelo candomblé, a Pedra de Xangô, localizada no bairro de Cajazeiras 10, em Salvador, foi tombada pela prefeitura na tarde desta quinta-feira (4). A cerimônia contou com a presença do prefeito ACM Neto e do presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM), Fernando Guerreiro, além de grupos de candomblé da região.

Conforme a prefeitura, o monumento natural foi tombado por ser elemento de resistência cultural e aglutinador da teia de terreiros do conjunto de bairros de Cajazeiras. O tombamento ocorreu após solicitações da Associação Brasileira de Preservação da Cultura Afro-Ameríndia (AFA), da Associação Pássaros das Águas e da Câmara Municipal de Salvador.

Além da pedra, toda a região de 17 hectares onde ela está também foi tombada. A área, que é considerada sítio histórico do antigo Quilombo Buraco do Tatu, já havia sido oficializada como a primeira Área de Proteção Ambiental (APA), criada pela Prefeitura com base no novo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Salvador (PDDU).

Conforme a prefeitura, além do tombamento, a Secretaria Municipal de Cidade Sustentável e Inovação (Secis) desenvolve estudos para a implantação do Parque em Rede Pedra de Xangô, que terá regimento próprio e conselho gestor e equipamentos como ciclovia, anfiteatro, e área para celebrações religiosas.

Grupos de candomblé da região de Cajazeiras participaram da cerimônia (Foto: Giana Mattiazzi/TV Bahia)

 

 

Extraído do portal de notícias G1 / BA
http://g1.globo.com/bahia/noticia/monumento-da-pedra-de-xango-e-tombado-pela-prefeitura-de-salvador.ghtml

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *