Breaking News

Mulher sofre tentativa de estupro de suposto pai de santo

Vítima conseguiu escapar; após o crime, agressor disse que estava ‘incorporado’

(Foto: Arquivo Diário Digital)

 

Da redação | Domingo, 22 de Janeiro de 2017 – 09h31

Uma mulher de 36 anos denunciou à 1ª Delegacia da Mulher de Campo Grande ter sido atacada por um suposto pai de santo, que tentou violentá-la. A vítima conseguiu escapar. Após o crime, o autor disse que estava incorporado. O caso aconteceu na madrugada deste domingo, 22 de janeiro, no Bairro Amambai.

Conforme Boletim de Ocorrências, a vítima estava no Al-Capone Music Bar, localizado na Rua Juruena, Bairro Amambai, quando foi apresentada por amigos a um homem chamado por todos de Jefes. A vítima passou a dançar com o homem que lhe informou ser pai de santo e disse que a mulher precisa fazer uma limpeza espiritual.

Jefes a convenceu a conhecer sua residência, que seria próxima ao bar onde estavam. A mulher foi até lá e após passar por um matagal no quintal, nos fundos da casa, Jefes tentou agarrá-la. Conforme a vítima, o agressor torceu-lhe o braço segurando-a pelo pescoço e a derrubou no chão.

Ele exigia ter relação sexual com a vítima ou a mataria.  A mulher começou a gritar, e conseguiu se desvencilhar e sair correndo do local.

Pouco depois, o autor saiu da casa e ficou sentado na frente da residência com a cabeça abaixada. Ele dizia que estava “incorporado por uma entidade.”

De acordo com o registro policial, a vítima chegou à delegacia com lesão na boca e no braço esquerdo. Ela reclamava de dores no pescoço (sem marcas aparentes). Não houve testemunhas do crime. A mulher se comprometeu a apresentar à Polícia Civil endereço exato dos fatos e dados sobre o autor.
Extraído do site de notícias Diário Digital / Campo Grande – MS
http://www.diariodigital.com.br/policia/mulher-sofre-tentativa-de-estupro-de-suposto-pai-de-santo/153618/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *