Breaking News

Museu Afro Brasil traz a SP exposição do Instituto Smithsonian

Mostra sobre linguista afro-americano Lorenzo Dow Turner é exibida até outubro

 

Qua, 19/08/15 – 08h41

 

Mae Menininha (front center). Courtesy Anacostia Community Museum/Smithsonian Institution
Mae Menininha (front center).
Courtesy Anacostia Community Museum/Smithsonian Institution

Mãe Menininha (ao centro, na frente) e suas filhas de santo, no terreiro Ilé Axé Yá Masse, Salvador, Bahia, 1940-1941

Mende women reenacting a Mende funeral ceremony. Courtesy Anacostia Community Museum/Smithsonian Institution
Mende women reenacting a Mende funeral ceremony.
Courtesy Anacostia Community Museum/Smithsonian Institution

Mulheres mendes recriando uma cerimônia de enterro em Senehun Ngola, Serra Leoa, 1997

Ring Shouters, 1930 Courtesy Anacostia Community Museum/Smithsonian Institution
Ring Shouters, 1930
Courtesy Anacostia Community Museum/Smithsonian Institution

 

Cantores de roda dos anos 1930

 

Uma nova exposição inaugurada nesta semana no Museu Afro Brasil, no Parque do Ibirirapuera, apresenta ao público a vida e a pesquisa pioneira desenvolvida pelo primeiro linguista afro-americano, Lorenzo Dow Turner.

Originalmente criada e exibida em 2010 pela Anacostia Community Museum, integrante do Instituto Smithsonian, em Washington, Estados Unidos, a exposição tem curadoria da brasileira Alcione Meira Amos e segue até outubro.

Expoente acadêmico da comunidade negra americana nos anos 1930, Turner identificou a fala da comunidade gullah, do sul dos EUA, e rastreou seus registros na África e no Brasil, ligando, dessa forma, comunidades da diáspora africana através da linguagem.

Fazem parte da mostra fotografias que registram o trabalho de campo do professor Turner; um painel comparando palavras usadas no gullah, inglês e português do candomblé, com as suas origens nas línguas da África; um raro registro da fala gullah e cinco vídeos, incluindo “Raízes da África: ligações entre as palavras”, que mostra as raízes africanas de várias pessoas.
Outras exposições
Até o dia 30 de agosto, o museu promove ainda a maior mostra de arte contemporânea africana já realizada no país. O projeto “Africa Africans” traça um panorama da recente criação visual do continente por meio de obras de artistas de diversas nações africanas.

A exposição conta com cerca de 100 obras, de mais de 20 artistas, em diversos suportes e linguagens, além de outras obras de arte africana, pertencentes ao acervo do museu e à coleção particular de Emanoel Araujo, diretor curatorial do Museu.

Siga o Governo no Twi tterFacebook e veja fotos no Flickr
SERVIÇO
Gullah, Bahia, África
Museu Afro Brasil (Av. Pedro Álvares Cabral, Pq. Ibirapuera, Portão 10, São Paulo)
De 18/08 a 18/10
Mais informações no site do Museu Afro Brasil 

 

Extraído do portal do Governo do Estado de São Paulo
http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia2.php?id=242083