Breaking News

Museu da Cultura Afro Brasileira recebe exposições nesta segunda

Entrada é franca para exposição que ocorre em museu no Centro Histórico.
Três mostras compõem especial em homenagem a Novembro Negro.

DO G1 BA | 30/11/2015 08h54 – Atualizado em 30/11/2015 08h57

 

 

Obra de J. Cunha integra exposição especial do Novembro Negro (Foto: Reprodução/ Obra de J. Cunha)
Obra de J. Cunha integra exposição especial do Novembro Negro (Foto: Reprodução/ Obra de J. Cunha)

Três exposições integram, a partir desta segunda-feira (30), às 17h, a programação especial do Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (Muncab) para o Mês da Consciência Negra. A entrada é franca.

Duas das mostras apresentam trabalhos dos artistas plásticos J.Cunha e Alberto Pita, cuja trajetórias artísticas estão diretamente vinculadas ao universo afro-brasileiro. Uma terceira exposição reúne o acervo do próprio Muncab, com cerca de 260 obras relacionadas com a ancestralidade africana e a contemporaneidade, adquiridas como primeira coleção do museu, em 2011.

As exposições têm em comum a ênfase na valorização e difusão de aspectos da cultura de matriz africana, através de documentos, fotografias, arte religiosa, esculturas, pinturas, ourivesaria e arte contemporânea de diversos artistas nacionais e estrangeiros.

A mostra do artista plástico baiano J. Cunha apresenta quatro grandes instalações. A primeira utiliza 21 telas, que se completam em um grande painel, com símbolos e signos religiosos que traduzem a força dos elementos da natureza e da cultura afro.

A segunda instalação, “Piracema”, aborda a procriação de peixes, com cerca de 560 garrafas pet utilizadas na composição do trabalho. A terceira instalação se chama “Orábulos”, termo híbrido gerado pelas palavras retábulo (espanhol) e oratório (português), que traduzem uma mesma idéia: nichos religiosos, no caso, ilustrados com elementos do cotidiano da população negra, equilibrando realidade e ironia. A quarta instalação, intitulada “Futbólia”, fala do futebol, evidenciando a relação do negro com o esporte mais popular do país.

A exposição “Oyá Balé Contra as Intolerâncias”, realizada pela entidade cultural Cortejo Afro, sob coordenação do artista plástico Alberto Pita, utiliza signos e símbolos vivos e presentes na religiosidade e cultura dos afrodescendentes. A mostra propõe a reflexão e discussão sobre ideais contemporâneos, como a luta contra a discriminação racial e intolerância religiosa, pela igualdade de gênero e, principalmente, pelo respeito à dignidade.

Já a mostra “Arte e História da Cultura Afro Brasileira/Acervo do Muncab” reúne cerca de 260 peças adquiridas pelo Museu Nacional da Cultura Afro Brasileiro. A seleção das obras foi feita por um conselho formado por nomes como Ubiratan Castro, Justino Marinho, Cecilia Soares, Juarez Paraiso e Muniz Sodré.

O acervo é composto por pinturas, fotografias, esculturas e documentos relacionados com a cultura negra, com trabalhos da ancestralidade e da contemporaneidade. Entre as obras, estão as pinturas de Heitor dos Prazeres, Debret, Estevão Silva, Maria LidiaMagliani, Rosana Paulino, Yeda Maria, Rugendas, Arthur Timotheo, José de Dome e Victor Frond. Há também fotografias de Walter Firmo e Eustáquio Neves; e esculturas de Mestre Didi, Manuel Bonfim, Agnaldo Santos e Edival Ramosa.

 

Serviço
“Novembro Negro no Muncab – Arte e História”
Período: 30 de novembro de 2015 a 30 de janeiro de 2016
Horário: terça a sábado, das 10h às 17h
Local: prédio do Museu Nacional da Cultura Afro Brasileira
Endereço: Rua do Tesouro, s/n Centro Histórico / Salvador
Entrada franca
Informações: 71-3017-6722/30226722

 

 

Extraído do portal de notícias G1 / Bahia
http://g1.globo.com/bahia/noticia/2015/11/museu-da-cultura-afro-brasileira-recebe-exposicoes-nesta-segunda.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *