Breaking News

Oferendas a Iemanjá são despejadas a 5 km da costa; confira os cuidados

Festa popular para a orixá considerada ‘Rainha do Mar’ é em 2 de fevereiro.
Procissão marítima sai às 16h para a entrega dos presentes; consulte dicas.

Do G1 BA | 30/01/2015 16h52 – Atualizado em 30/01/2015 16h52

 

 

 

Público nos festejos a Iemanjá (Foto: Egi Santana/G1)
Público nos festejos a Iemanjá (Foto: Egi Santana/G1)

A procissão marítima vai levar as oferendas para Iemanjá, no dia 2 de fevereiro, na tradicional festa de largo do Rio Vermelho, em Salvador, às 16h. As embarcações vão percorrer 2,5 milhas, o que corresponde aproximadamente 5 km, para a entrega dos presentes. Para isso, a Capitania dos Portos vai atuar na segurança marítima com 50 militares, distribuídos em quatro lanchas, uma moto-aquática e um navio-patrulha.

 

Diante da festa popular e da demanda de embarcações, de diferentes portes, confira quais são as recomendações da Marinha do Brasil aos condutores:

– respeito ao perímetro de segurança que será estabelecido pelas lanchas da Capitania em torno das embarcações que transportarão as oferendas. Durante o deslocamento para o local de lançamento das oferendas, será proibido o tráfego de embarcações no interior do perímetro de segurança;

– somente poderão participar do cortejo embarcações homologadas para operar em mar aberto ou que estejam com dotação de material exigido para operar na área de navegação interior tipo 2;

– a quantidade de pessoas a bordo não deverá ultrapassar ao fixado na lotação, estabelecida no respectivo Título de Inscrição da Embarcação (TIE);

– as embarcações deverão dispor do material de salvatagem previsto na sua dotação; especial atenção deve ser dada aos coletes e boias salva-vidas;

– as embarcações deverão ser conduzidas por pessoas devidamente habilitadas pela Marinha do Brasil e que não tenham ingerido bebidas alcoólicas;

– nenhuma embarcação deverá se posicionar em rumo oposto ao rumo do cortejo;

– deverá ser obedecido o tráfego em baixa velocidade, evitando a realização de manobras arriscadas que venham a colocar outras embarcações em risco;

– deverá ser prestado auxílio a quem estiver em perigo no mar, a menos que represente perigo para si ou para outra pessoa;

– não deverá ser impedido o acesso à praia do Rio Vermelho com as embarcações;

– os comandantes das embarcações deverão manter permanente atenção quanto à presença de banhistas na área, principalmente nas proximidades da praia;

– os comandantes das embarcações que estiverem acompanhando o cortejo não deverão permitir o mergulho no mar de seus tripulantes e passageiros durante o cortejo e no momento de entrega das oferendas.

 

 

Extraído do Portal de Notícias G1/Salvador-BA
http://g1.globo.com/bahia/verao/2015/noticia/2015/01/oferendas-iemanja-sao-despejadas-5-km-da-costa-confira-os-cuidados.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *