Breaking News

Olhar Conceito: Capoeira, siriri e dança afro ganham o palco do teatro Zulmira Canavarros neste domingo

 

Da Redação – Naiara Leonor | 28/07/2016 – 16:35

 

http://www.metropoles.com/vida-e-estilo/beleza/festival-latinidades-tera-oficinas-de-moda-e-beleza-afro
http://www.metropoles.com/vida-e-estilo/beleza/festival-latinidades-tera-oficinas-de-moda-e-beleza-afro

Neste domingo (30) a cultura brasileira sobe ao palco no Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros com o evento “Atravessando Fronteiras”, a partir das 17h. Dentre o siriri e a dança afro, o destaque é do grupo de capoeira “Aruandê” comandado pelo Mestre Demetrius. As apresentações terão três horas de duração e a entrada é um quilo de alimento não perecível.

Há doze anos estabelecido nos EUA, Demetrius visita mais um vez Cuiabá, terra em que iniciou sua trajetória na capoeira, trazendo o evento “Atravessando Fronteiras”. Representando atualmente o grupo Aruandê em vários estados brasileiros e também nos EUA e Canadá, o mestre de capoeira se apresenta com o espetáculo da dança nacional “Um Turista no Brasil”.

A abertura da programação a partir das 17h fica por conta da apresentação de um grupo infantil, seguida do siriri do “São Gonçalo Beira-Rio” e da dança afro do “Ayoluwa”. O percussionista Josué e a cantora Bia Borel também participam do evento. Na sequência o público acompanha rituais tradicionais da capoeira como a “puxada de rede” e o “maculele” e logo depois o espetáculo “Um turista no Brasil”.

Finalizando a noite acontece a troca de graduação do Aruandê e o samba de roda, uma performance tradicional da capoeira. O evento é realizado com o apoio da Assembleia Legislativa, através da Sala da Mulher.

 

Extraído do blog de notícias Olhar Conceito / Cuiabá – MT
http://www.olhardireto.com.br/conceito/noticias/exibir.asp?noticia=capoeira-siriri-e-danca-afro-ganham-o-palco-do-teatro-zulmira-canavarros&id=11375

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *