Breaking News

Orixás recomendam cautela: ‘Não haverá jogo fácil para o Brasil’

A Mãe de Santo Leni de Ogum & Iemanjá interpreta o que os orixás reservam

por: Jaqueline Caríssimi | Edição: Fernando Uhlmann
Data: 13/06/2014 | 10:30

Foto: Jaqueline Caríssimi / Folha do MateAo consultar os búzios, Mãe de Santo diz que jogos serão difíceis, mas acredita que o Brasil chega lá
Foto: Jaqueline Caríssimi / Folha do MateAo consultar os búzios, Mãe de Santo diz que jogos serão difíceis, mas acredita que o Brasil chega lá

Os búzios são jogados uma, duas, três vezes. A confirmação: “Os jogos serão difíceis, mas o Brasil chega lá”. Interpreta a Mãe de Santo Leni de Ogum & Iemanjá. Segundo ela, no país do futebol é preciso fé e acreditar. Ela aconselha que os torcedores acompanhem Neymar, considerado por especialistas da área, o melhor jogador da seleção brasileira, mas que não esqueçam que o jogo só acontece quando há equipe. “Uma andorinha sozinha não faz verão”, recorda o dito popular. De acordo com Leni, Neymar vai fazer bonito, mas haverá outro jogador que vai ser um dos grandes destaques nos jogos. “O goleiro Julio César, está bem espiritualmente e fará grandes defesas”, revela.

Com influência dos orixás Ogum, Iemanjá, Obá e Xapanã respondendo, os búzios apontam que os jogos da seleção brasileira serão difíceis. “Pelo que me dizem os búzios, o Brasil tende a chegar na final, mas com muita dificuldade”, diz recomendando que os torcedores tenham fé. “Não importa no que acreditam, mas tenham muita fé e canalizem suas energias para os 11 jogadores da seleção, pois sozinho não se forma time”. Leni diz que os Orixás emanam boas vibrações para o povo brasileiro que, precisa saber que deve receber muito bem as suas visitas, sem conflitos e confusões.

Um axé de fé para todos os jogadores

Leni de Ogum
Mãe de Santo

 

Extraído do site Folha do Mate

http://www.folhadomate.com/noticias/geral15/orixas-recomendam-cautela-nao-havera-jogo-facil-para-o-brasil

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *