Breaking News

Página com postagens contra religiões africanas e LGBT é investigada pelo MPE

Ministério abriu procedimento preparatório para apurar o caso

ALINY MARY DIAS18 de Junho de 2015 | 09h31

Página aparentemente campo-grandense motivou investigação  (Foto: Reprodução/Facebook)
Página aparentemente campo-grandense motivou investigação 
(Foto: Reprodução/Facebook)

Supostas ofensas e discriminação religiosa e sexual praticadas por administradores de uma página no Facebook motivou o Ministério Público Estadual (MPE) abrir investigação. Trata-se da página Gladiadores do Altar, inspirada em grupo criado em janeiro desse ano e ligado à Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd).

Segundo publicação do MPE desta quinta-feira (18), o procedimento preparatório, primeira fase da investigação, tem o objetivo de apurar “eventual ofensa à liberdade religiosa e suposta prática de homofobia e discriminação contra a população LGBT e contra as religiões de matrizes africanas de Campo Grande”.

A investigação é comandada pela promotora Jaceguara Dantas da Silva Passos, da Promotoria de Justiça dos Direitos Humanos.

A página em questão tem 2,3 mil seguidores e a última postagem data do último dia 15 de junho. No entanto, nenhuma imagem de ofensa está na página. A suspeita é que diante da repercussão, as postagens tenham sido apagadas. Atualmente, o que há na página são imagens com versículos bíblicos e motivacionais.

A página Gladiadores do Altar, aparentemente criada por campo-grandense, é inspirada em outra página de mesmo nome, que possui mais de 8,9 mil seguidores. A comunidade faz referência a um grupo criado em janeiro deste ano pela Igreja Universal.

No Rio de Janeiro, o grupo chegou a ser denunciado ao MPF em razão de os jovens aparecerem em fotos e vídeos uniformizados e batendo continência.

A Lei de Segurança Nacional (LSN) proíbe a formação de grupos paramilitares e propaganda de discriminação racial, de luta pela violência entre as classes sociais e de perseguição religiosa.

 

 

Extraído do site do jornal Correio do Estado / Campo Grande – MS
http://www.correiodoestado.com.br/cidades/pagina-com-postagens-contra-religioes-e-lgbt-e-investigada-pelo-mpe/249884/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *