Breaking News

Palmares denuncia crime de intolerância religiosa

18.09.2015 – 19:11

 

A Constituição Federal assegura o livre exercício do culto religioso (Foto: Ascom/MinC)
A Constituição Federal assegura o livre exercício do culto religioso (Foto: Ascom/MinC)

A Fundação Cultural Palmares, órgão vinculado ao Ministério da Cultura, formalizou na tarde desta quarta-feira (16) junto a Procuradoria Federal Especializada da PGF/AGU do estado de Goiás a denúncia de crime de ódio e intolerância religiosa. A denúncia foi contra os ataques ocorridos no último dia 12 a três templos religiosos de candomblé nas cidades de Santo Antônio do Descoberto, Águas Lindas e Valparaíso de Goiás, todas a aproximadamente 50 quilômetros de Brasília.

Segundo os boletins de ocorrência, os templos foram atacados por tiros com arma de fogo, incendiados e furtados.

Também na quarta-feira, a presidenta da Fundação Cultural Palmares, Cida Abreu, acompanhada por uma comissão de lideranças dos Povos Tradicionais de Terreiros, foi recebida em audiência pela Secretária Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Regina Miki, a quem entregou um documento que relata os fatos e solicita rigor nas investigações dos delitos.

Cida Abreu solicitou que sejam cobradas providências das autoridades de forma a garantir a segurança dessa manifestação e que a liberdade de culto seja assegurada. Como medida prática, pediu que seja acionado o Ministério Público Federal no estado de Goiás.

A Fundação Palmares determinou que o Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-Brasileiro e a Procuradoria do órgão prestem assessoria jurídica às vítimas.

A Constituição Federal prevê o zelo pela defesa dos direitos étnicos individuais, coletivos e difusos, a garantia da liberdade de crença, o livre exercício de cultos religiosos e a proteção do patrimônio material e imaterial de matriz africana.

 

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura

 

Extraído do site do Ministério da Cultura / Brasília – DF
http://www.cultura.gov.br/banner-2/-/asset_publisher/0u320bDyUU6Y/content/palmares-denuncia-crime-de-intolerancia-religiosa/10883

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *