Breaking News

Pastor e fiéis são presos acusados de exercício ilegal da medicina após orarem por mulher doente

Publicado por Tiago Chagas em 5 de março de 2015 


prisao-biblia

Um pastor e outros quatro líderes de uma igreja no Laos foram condenados na semana passada após serem acusados de atuarem como “médicos ilegais”. A acusação foi feita porque eles oraram por uma mulher doente que mais tarde veio a falecer.

O Laos é um país de liberdade religiosa restrita, de maioria budista, e conhecido pela perseguição a cristãos, que somam 3,4% da população. O Tribunal Popular da Província de Savannakhet condenou os cinco cristãos no dia 12 de fevereiro.

A sentença imposta foram nove meses de cadeia, além de uma multa de 500.000 kips, o equivalente a R$ 186,00, segundo informações do Morning Star News. Além disso, os réus devem pagar em conjunto 20 milhões de kips (aproximadamente R$ 7.300,00) por danos emocionais e de despesas de funeral à família da falecida.

A mulher que morreu, identificada apenas como Chansee, estava doente há dois anos com uma condição desconhecida. Vários tipos de curandeiros e médicos na aldeia a tinham tratado sem sucesso, informaram testemunhas a um representante do Observatório de Direitos Humanos e da Liberdade Religiosa de Laos.

“Sem provar que os cinco cristãos tinham intenção maliciosa ou que a sua ação de oração era para causar a morte, o tribunal abusou da lei”, disse o representante da entidade de direitos humanos. “Os fatos precisam ser levados em tribunal, e a prisão e condenação foi para impedir os cristãos de difundir a fé cristã”, acrescentou.

Chansee, que havia colocado sua fé em Cristo no dia 19 de junho de 2014, pediu a oração dos líderes cristãos, que oraram por ela durante dois dias, de acordo com registros do tribunal. Quando sua condição não melhorou, os cristãos a levaram ao Hospital Utumphone District, onde ela foi tratada por um médico licenciado.

Em 21 de junho, ela solicitou a alta do hospital para que ela pudesse morrer em casa, e quando chegou na residência, ela já tinha morrido. “Os funcionários do Ministério da Saúde não foram chamados pelo Tribunal Popular para dar opinião sobre se a oração por enfermos sem o uso de drogas ou remédios pode ser feita sem o acompanhamento ou autorização do governo. Em segundo lugar, não foi provado que a oração foi a causa da morte”, concluiu.

 

Extraído do site Gospel Mais
http://noticias.gospelmais.com.br/pastor-fieis-presos-apos-orarem-mulher-doente-74787.html

 

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *