Breaking News

Peça “Macumba, uma Gira sobre Poder” dá voz à religião afro-brasileira

IMG_6070-1024x682-150x150

Data: 11/07/2016

em: Afro-brasileiros e suas lutas

 

Vítima do racismo, da perseguição e do preconceito, a cultura afro-brasileira muitas vezes é demonizada no Brasil. Retirá-la deste lugar é um dos objetivos da peça “Macumba – Uma Gira sobre Poder”, que estreia nesta terça (12) em Curitiba.

Por Miguel Arcanjo Do Blog do Arcanjo

Com artistas da Cia. Transitória, a peça tem direção de Fernanda Júlia, formada pela UFBA (Universidade Federal da Bahia) e que fundou o NATA (Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas- BA). O espetáculo faz parte do “Projeto Macumba”, que engloba ações de teatro, música, dança e artes visuais, com produção de Erick Alessandro.

Fernanda afirma que a peça serve para fortalecimento das referências negras. Para ela, é de “suma importância” que os brasileiros “reconheçam a beleza, grandiosidade e força da nossa herança cultural africana e afro-brasileira”.

“O espetáculo além de colocar em cena elementos da religiosidade de matriz africana, aponta diversos espaços para além da religiosidade, mas calcado na ancestralidade de empoderamento da mulher negra e do homem negro”, afirma a diretora, que busca tirar o negro do lugar estigmatizado e marcado por estereótipos, infelizmente ainda comum em nossa sociedade. Estão no elenco os atores Flávia Sabino, Gide Ferreira, Tatiana Dias e Thiago Inácio.

IMG_5979-1024x682-480x320

Fernanda afirma que é preciso reverter “a imagem deturpada” que se criou na sociedade sobre a cultura negra e sua religiosidade. “Divulgar a história e a cultura do povo negro de forma descolonizada, partindo da visão de mundo e também dos elementos culturais africanos e afro-brasileiros é ponto de partida para a reversão deste quadro, porém não é o suficiente”, fala.

“Para uma reversão eficaz é importante um processo de educação descolonizado, compreensão dos órgãos governamentais, órgãos midiáticos, iniciativa privada da diversidade cultural do país contemplando esta diversidade em todas as esferas do conhecimento”, aponta.

Para a artista, é importante apresentar a peça em Curitiba, no Sul do Brasil. “Acho que o Brasil como um todo persegue as religiões de matriz africana, não há alívio em nenhuma região do país. Mas o que pude identificar aqui em Curitiba é uma população que tenta invisibilizar a negritude de 22% da sua população, afim de dar conta da criação de uma cidade europeia no Brasil, o que posso chamar de equívoco, no mínimo”, afirma.

“Macumba, Uma Gira sobre Poder”
Quando: Terça a quinta, 20h. De 12/7 a 4/8/2016
Onde: Sociedade Operária Beneficente 13 de Maio – Rua Desembargador Portugal, 274, São Francisco, Curitiba)
Quanto: R$ 20
Classificação etária: 14 anos

Leia a matéria completa em: Peça “Macumba, uma Gira sobre Poder” dá voz à religião afro-brasileira – Geledés http://www.geledes.org.br/peca-macumba-uma-gira-sobre-poder-da-voz-religiao-afro-brasileira/#ixzz4EA0bXGrk
Follow us: @geledes on Twitter | geledes on Facebook

 

Extraído do portal de mídia afro Geledés.org / São Paulo – SP
http://www.geledes.org.br/peca-macumba-uma-gira-sobre-poder-da-voz-religiao-afro-brasileira/?utm_source=Atualiza%C3%A7%C3%A3o+Di%C3%A1ria+Geled%C3%A9s&utm_campaign=e9c27b2388-RSS-NEWS-Portal-Geledes&utm_medium=email&utm_term=0_b0800116ad-e9c27b2388-354029485

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *