Breaking News

Polícia Civil cumpre mandados em operação contra desvios de recursos públicos em instituição de Araxá

Conselho de Participação e Integração da Comunidade Afro Brasileira de Araxá é investigado. Advogado da entidade falou sobre o assunto.

 

 

Por MGTV

06/07/2017 13h21  Atualizado 06/07/2017 20h34

Polícia cumpre mandados em operação contra desvios de recursos públicos em Araxá

A Polícia Civil de Araxá desencadeou, na manhã desta quinta-feira (6), a 1ª fase da Operação “Houdini”, que apura possíveis desvios de recursos públicos no Conselho de Participação e Integração da Comunidade Afro Brasileira de Araxá (Coafro). Foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária, oito de busca e apreensão e outros de condução coercitiva. Uma mulher de 41 anos, dois homens de 36 e 51 e um idoso de 63 foram encaminhados ao presídio de Araxá.

De acordo com o delegado Renato Alcino Vieira os recursos públicos municipais aportados pela entidade não retornaram efetivamente para a comunidade, não atendia ao objetivo proposto. “De certa forma estes membros desta entidade iludiam as pessoas. Temos um prestador de serviços que era a pessoa que fornecia notas fiscais para acobertar determinados desvios”, ressalta.

O delegado regional da Araxá, Vitor Hugo Heisler informou que depois de uma reunião com o Ministério Público de Minas Gerais decidiu repartir as entidades entre os delegados para investigação, face a complexidade do inquérito e o grande número de entidades.

As prisões, segundo Renato, são uma forma de os suspeitos não atrapalharem as investigações como já teria ocorrido anetiormente. As prisões são temporárias e tem prazo máximo de cinco dias. Todos os envolvidos devem ser ouvidos nesta sexta-feira (07) na Delegacia Regional de Araxá.

Os suspeitos devem ser ouvidos nesta sexta-feira na Delegacia Regional da Araxá (Foto: Reprodução/TV Integração)

A reportagem do MGTV conversou com o advogado que representa o Coafro, Daniel Rosa. Segundo ele, os investigados já estavam prestando esclarecimentos à polícia e negaram as acusações. Ainda segundo Rosa, os quatro vão pedir a revogação das prisões temporárias.

 

Extraído do portal de notícias G1 / Triângulo Mineiro – MG
http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/policia-civil-cumpre-mandados-em-operacao-contra-desvios-de-recursos-publicos-em-instituicao-de-araxa.ghtml

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *