Polícia Civil tem nova linha de investigação sobre morte de pai de santo

Policiais da Regional de Viçosa buscam suspeitos de crime contra babalorixá FOTO: GOOGLE STREET VIEW/REPRODUÇÃO

Segundo equipe da Delegacia Regional de Viçosa, babalorixá mantinha relação sexual com menores de idade; dois suspeitos já foram identificados  COMENTE

 Por Bruno Soriano | Portal Gazetaweb.com    09/08/2018 18h10 – Atualizada às 09/08/2018 19h02

 

 


Policiais da Regional de Viçosa buscam suspeitos de crime contra babalorixá
FOTO: GOOGLE STREET VIEW/REPRODUÇÃO

A equipe da Delegacia Regional de Viçosa avança com as investigações sobre a morte do pai de santo José Cícero da Silva, crime cometido na noite da última terça-feira (07), no Conjunto Santa Ana, município da Zona da Mata de Alagoas. Dois suspeitos já foram identificados, e a polícia segue trabalhando com a hipótese de latrocínio [roubo seguido de morte], apesar de não descartar nenhuma outra linha de investigação. Uma delas, inclusive, é a de crime homofóbico .

Isso porque o babalorixá, de acordo com o agente de polícia Joubert Ataíde, mantinha relação sexual com menores de idade. “Já identificamos dois suspeitos, mas não podemos fornecer mais informações sobre o caso, a fim de não atrapalhar as investigações”, comentou.

José Cícero tinha 35 anos e era conhecido como “Pai Lonan”. Ele estava à porta de casa, onde também funcionava um terreiro de candomblé, quando foi surpreendido pelos criminosos, que efetuaram vários disparos de arma de fogo. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local da ocorrência.

Os bandidos levaram consigo certa quantia em dinheiro que estava com a vítima. Já segundo o delegado regional Guilherme Iusten, José Cícero foi morto por ter reconhecido os assassinos.

Nessa quarta-feira (08), o presidente do Grupo Gay de Maceió, Messias Mendonça, foi recebido pelo secretário executivo de Políticas da Segurança Pública, delegado Manoel Acácio, na sede da SSP, em Maceió, para debater a reativação de um grupo de trabalho com vistas ao combate à homofobia. Na oportunidade, Messias garantiu que o movimento LGBTI vai acompanhar de perto as investigações.

Quem tiver informações sobre os suspeitos pode entrar em contato com a polícia por meio do Disque Denúncia (181).

 

Extraído do portal digital de notícias Gazetaweb / Maceió – AL
https://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2018/08/_59388.php

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *