Polícia Civil tem nova linha de investigação sobre morte de pai de santo

Polícia Civil tem nova linha de investigação sobre morte de pai de santo

14 de agosto de 2018 0 Por Sérgio D`Giyan

Segundo equipe da Delegacia Regional de Viçosa, babalorixá mantinha relação sexual com menores de idade; dois suspeitos já foram identificados  COMENTE

 Por Bruno Soriano | Portal Gazetaweb.com    09/08/2018 18h10 – Atualizada às 09/08/2018 19h02

 

 


Policiais da Regional de Viçosa buscam suspeitos de crime contra babalorixá
FOTO: GOOGLE STREET VIEW/REPRODUÇÃO

A equipe da Delegacia Regional de Viçosa avança com as investigações sobre a morte do pai de santo José Cícero da Silva, crime cometido na noite da última terça-feira (07), no Conjunto Santa Ana, município da Zona da Mata de Alagoas. Dois suspeitos já foram identificados, e a polícia segue trabalhando com a hipótese de latrocínio [roubo seguido de morte], apesar de não descartar nenhuma outra linha de investigação. Uma delas, inclusive, é a de crime homofóbico .

Isso porque o babalorixá, de acordo com o agente de polícia Joubert Ataíde, mantinha relação sexual com menores de idade. “Já identificamos dois suspeitos, mas não podemos fornecer mais informações sobre o caso, a fim de não atrapalhar as investigações”, comentou.

José Cícero tinha 35 anos e era conhecido como “Pai Lonan”. Ele estava à porta de casa, onde também funcionava um terreiro de candomblé, quando foi surpreendido pelos criminosos, que efetuaram vários disparos de arma de fogo. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local da ocorrência.

Os bandidos levaram consigo certa quantia em dinheiro que estava com a vítima. Já segundo o delegado regional Guilherme Iusten, José Cícero foi morto por ter reconhecido os assassinos.

Nessa quarta-feira (08), o presidente do Grupo Gay de Maceió, Messias Mendonça, foi recebido pelo secretário executivo de Políticas da Segurança Pública, delegado Manoel Acácio, na sede da SSP, em Maceió, para debater a reativação de um grupo de trabalho com vistas ao combate à homofobia. Na oportunidade, Messias garantiu que o movimento LGBTI vai acompanhar de perto as investigações.

Quem tiver informações sobre os suspeitos pode entrar em contato com a polícia por meio do Disque Denúncia (181).

 

Extraído do portal digital de notícias Gazetaweb / Maceió – AL
https://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2018/08/_59388.php