Breaking News

Polícia de Mato Grosso cria núcleo para investigar intolerância religiosa

Estado não tem estatísticas sobre crimes do tipo.

Portal Vox com informações da Agência Brasil

| 14 de agosto de 2015

A Polícia Civil de Mato Grosso criou um núcleo específico para investigar crimes de intolerância religiosa no estado.

Segundo o delegado-geral, Adriano Peralta Moraes, essa era uma demanda antiga, principalmente de membros de centros espíritas, de umbanda e de candomblé.

De acordo com o presidente da Federação Nacional de Umbanda e dos Cultos Afro Brasileiros, Aécio Paniagua, quando apareceram na imprensa informações sobre a criação do núcleo, várias pessoas ligaram contando que tinham sofrido perseguições e intolerância religiosa.

A delegacia-geral não tem estatísticas sobre crimes de intolerância religiosa em Mato Grosso, mas, recentemente, registrou dois casos.

 

Extraído do portal de notícias Vox.com
http://noticias.portalvox.com/mato-grosso/2015/08/policia-de-mato-grosso-cria-nucleo-para-investigar-intolerancia-religiosa.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *