Breaking News

Polícia investiga invasão e incêndio de terreiros de candomblé, em GO

Suspeita é de que fogo tenha sido criminoso devido a intolerância religiosa.
Em um dos locais atingidos prejuízo chega a R$ 100 mil, segundo religioso.

Do G1 GO | 15/09/2015 10h28 – Atualizado em 15/09/2015 11h29

 

 

A Polícia Civil está investigando incêndios a dois terreiros de candomblé em Águas Lindas de Goiás e Santo Antônio do Descoberto, cidades goianas no Entorno do Distrito Federal. A suspeita é de que o fogo tenha sido criminoso e provocado por intolerância religiosa. As invasões foram no sábado (12).

Em Santo Antônio do Descoberto, os criminosos arrombaram uma janela e entraram no terreiro. Eles colocaram fogo e fugiram. De todos os pertences que estavam dentro do local, restaram apenas algumas cadeiras e tambores.

 

No momento do incêndio, não havia ninguém no terreiro. Responsável por conduzir as cerimônias, o babalorixá Babazinho de Oxalá foi quem apagou as chamas com ajuda de vizinhos.

“Quando eu cheguei aqui, já estava em estado triste, tudo queimado, com fogo pegando. É um prejuízo de R$ 100 mil, no mínimo. Acabou tudo, não tem mais o que fazer aqui”, disse.

Furto
Há um mês, o mesmo terreiro já tinha sido alvo de ladrões. Eles também entraram pela janela. Alguns objetos foram roubados e outros, destruídos. Os religiosos disseram que, antes disso, nunca tiveram problemas no local, que já funciona há cinco anos.

“Nunca tivemos uma represália, foi sempre normal o convívio. Eles [vizinhos] dizem que gostam quando a gente está, porque a rua fica alegre, tem muita gente com o movimento na rua”, conta a yalorixá Rejiane de Oyá.

Em Águas Lindas de Goiás, um grupo arrombou o portão do terreiro de candomblé e colocou fogo em uma poltrona e em roupas que estavam no varal.

A polícia ainda não tem suspeita de quem possa ter cometido esses crimes e investiga se há ligação entre os casos. “A princípio, a gente trabalha com intolerância religiosa e vamos buscar os possíveis autores desses crimes”, disse o delegado Felipe Socha, responsável pelos dois casos.

 

Incêndio em terreiro de candomblé causou prejuízo de R$ 100 mil (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Incêndio em terreiro de candomblé causou prejuízo de R$ 100 mil (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Extraído do portal de notícias G1 / Goiás
http://g1.globo.com/goias/noticia/2015/09/policia-investiga-invasao-e-incendio-de-terreiros-de-candomble-em-go.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *