Polícia vai pedir quebra de sigilo para identificar envolvidos em boatos sobre bruxos de Meriti

Polícia vai pedir quebra de sigilo para identificar envolvidos em boatos sobre bruxos de Meriti

28 de setembro de 2018 0 Por Sérgio D`Giyan

 

Publicado em28/09/18 04:30

 

A bruxa Alana Morgana esteve na DRCI para denunciar as ameaças que tem recebido pela internet Foto: Pedro Teixeira / Agência O Globo

 

O delegado Pablo Sartori, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), ouviu na manhã desta quinta-feira o depoimento de Alana Morgana, a bruxa de São João de Meriti que vem sendo ameaçada de morte após o envolvimento com boatos de sequestros e sacrifícios de crianças.

De acordo com Lorrama Machado, da Coordenadoria de Promoção da Liberdade Religiosa (Coplir), o delegado responsável vai pedir quebra de sigilo das operadoras de telefonia e internet para identificar os envolvidos no caso. Assim que forem descobertos, serão indiciados pelo crime de intolerância religiosa:

— Mostramos um print de um usuário do Facebook que ameaçou acabar com a vida da Alana Morgana em mensagem privada. Para ele, aquilo bastou. Mas ainda vamos reunir em DVD todos os áudios, que somam trinta, e vídeos que circulam nas redes para entregar à polícia.

A situação do grupo wiccano Tradição Athena Pronaia tomou uma proporção tão grande que chegou nas escolas de ensino fundamental de São João de Meriti, onde o rumor dos bruxos usando capas pretas entrando em casas para roubar menores continua causando pânico.

Seguidores de outras religiões que se sensibilizaram com o caso de Alana Morgana estão fazendo um mutirão para criar um arquivo único com provas dos ataques à bruxa. Elas estão sendo encaminhadas para Og Speler, presidente da União Wicca Brasil, que os entregará à polícia. Esta é a primeira vez que o bruxo de 43 anos se depara com um cenário tão hostil contra a religião wicca:

— Estamos acostumados a receber casos menores de intolerância contra bruxos wiccas como assédio no trabalho, expulsão de casa e abuso familiar. Desta vez há o risco real à vida de Alana e outros membros da Tradição Athena Pronaia.

Uma bruxa que não quis se identificar também recebeu ameaças de morte, desta vez, de traficantes de região onde vive. Segundo relatos, ela teria até ontem para sair de casa e retirar os símbolos da crença neo-pagã.

Além da punição dos autores de ameaças e ofensas na internet, Alana Morgana também entregará à DRCI um ofício que obriga a retirada do vídeo gravado na madrugada do dia 13 de agosto da internet. A página de notícias online “É Notícia São João”, uma das responsáveis por espalhar o boato, se recusou a apagar a publicação, porém se retratou compartilhando a matéria publicada pelo EXTRA na última terça-feira.

As notícias falsas começaram após o registro dos bruxos wiccas, gravado sem autorização, se espalhar na por páginas de Facebook e grupos do WhatsApp. As imagens mostram Alana e outros doze seguidores da “bruxaria moderna”, como é conhecida a wicca, oferecendo queijo, frutas e leite à deusa Hécate. Eles também vestidos com capas pretas e repetindo a frase “Salve Hécate!” em grego.

 

Extraído do site do Jornal Extra on line / Rio de Janeiro – RJ
https://extra.globo.com/casos-de-policia/policia-vai-pedir-quebra-de-sigilo-para-identificar-envolvidos-em-boatos-sobre-bruxos-de-meriti-23106802.html