Breaking News

Pretos Velhos são homenageados em Praça de Inhoaíba

Texto: Sérgio D´Giyan

Há 126 anos atrás, Dona Isabel, princesa imperial do Brasil, na sua terceira e última regência, sancionava a Lei Áurea, estando o Imperador D. Pedro II do Brasil em viagem ao exterior, abolindo assim, a escravidão no Brasil. Para homenagear essa data, a Associação de Amigos e Adeptos do Culto Afro-brasileiro e Espírita (Apaacabe), representada pelo seu presidente Luis Souza, sacerdote dos cultos afros organizou um grande evento, na praça de Inhoaíba.

 Pai Luiz com dona Vera Dias da Seconserva e o Administrador regional Luiz Otávio Ramos na reinauguração da Praça dos Pretos velhos!
Pai Luiz, Vera Dias e o Administrador Regional Luiz Otávio Ramos na reinauguração da Praça dos Pretos Velhos
Foto: APAACABE

 

A imagem de uma preta-velha restaurada devido a depredação por vandalismo, objeto de um ato de repúdio há pouco tempo, foi comemorada com direito a roda de capoeira, encontro de terreiros e uma suculenta feijoada, iguaria deixada pelos escravos e muito apreciada na culinária brasileira.

A Praça dos Pretos Velhos completou 56 anos, e há um projeto de lei propondo que seu nome seja adotado de maneira oficial pelo município.

Pai Luiz ao lado do Deputado Estadual Gilberto Palmares e do Babalawó Ivanir dos Santos, interlocutor da CCIR
Pai Luiz ao lado do Deputado Estadual Gilberto Palmares e do Babalawó Ivanir dos Santos, interlocutor da CCIR
Foto: APAACABE

O local abriga o monumento da Tia Maria do Sul de Minas, incendiado no dia 30 de abril. A imagem de argila não chegou a ser danificada, mas precisou ganhar novos trajes. Na ocasião, o fogo foi apagado pelo próprio presidente da Apaacabe, Pai Luiz de Sousa.

— Já tivemos tentativa de incêndio, roubo das roupas. Isso é discriminação e intolerância religiosa — disse Pai Luiz.

Foto: APAACABE
Foto: APAACABE

Em 13 de maio de 1958 foi inaugurado o monumento para comemorar os 70 anos de abolição e homenagear o morador mais antigo do bairro, Joaquim Manuel da Silva (Tio Quincas) estando presente Miguel Pastor, o então prefeito Negrão de Lima e o próprio Tio Quincas.

A praça mais tarde ficou conhecida com praça dos pretos velhos, não se limitando somente ao cunho cívico, mas também religioso. Em 1959 Miguel pastor lançou um manifesto que era a preparação para a tomada da praça pelos umbandistas.

Em 60 o escultor convidou mais de 30 terreiros, porém só apareceu um, pois o ambiente era de perseguição a tendas espíritas, mesmo assim o monumento foi consagrado perante duas mil pessoas.

7jo1
Pai Luis de Sousa, Presidente da APAACABE
Foto: APAACABE
10352787_591989514231643_9175760940033548453_n
Foto: APAACABE

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *