Breaking News

Projeto traz ancestralidade africana e documentação

Eduarda Uzêda |  Seg, 01/06/2015 às 14:58

 

 

 

Andreia Magnoni | Divulgação Solo do artista Thiago Romero vai percorrer dez casas de Axé de Salvador
Andreia Magnoni | Divulgação
Solo do artista Thiago Romero vai percorrer dez casas de Axé de Salvador

O ator Thiago Romero (Revelo/ Exu – A Boca do Universo) volta aos palcos com o espetáculo “Orí – Na Rota dos Orixás O solo”, que estreou no ano passado, desta vez percorre dez terreiros de Salvador.

A abertura do projeto acontece no Centro Cultural do Parque São Bartolomeu, no Subúrbio Ferroviário, nesta terça-feira, 2, às 15 horas. A área é  reconhecida pela importância histórica para as práticas de religiões de matriz africana.

“O projeto foi contemplado com o edital Arte em Toda Parte, da Prefeitura, que  recebeu valor de R$ 45 mil”, informa o intérprete que, além de atuar, assina direção, dramaturgia e figurino da montagem.

História pessoal

“Neste trabalho, que  mostra o processo de encontro de uma pessoa com seu orixá, dentro do candomblé, trago ao público um pouco da minha trajetória até ser iniciado, sem, é claro, revelar fundamentos sagrados”, salienta o ator.

Thiago conta que o solo nasceu durante processo de montagem de “Exu – A Boca do Universo”. Além de integrar elenco, o ator assinou cenografia, figurinos e maquiagem, pela qual chegou a receber indicação ao Prêmio Braskem 2014 na categoria especial.

“Fernanda Júlia, a diretora, fez uma provocação e eu criei uma pequena cena, que depois virou o espetáculo”, conta, afirmando que  une   as pesquisa do   Núcleo Afro Brasileiro de Alagoinhas – NATA, do qual faz parte, com a documentação do grupo Teatro da Queda, o qual dirige.

Programe-se

O quê: Abertura do Projeto Orí Na Rota dos Orixás
Quando: Terça-feira, 2, às 15h
Onde: Auditório do Centro Cultural do Parque São Bartolomeu, Subúrbio Ferroviário
Quanto: Entrada fanca

 

Extraído do site do Jornal A Tarde / Salvador – BA
http://atarde.uol.com.br/cultura/teatro/noticias/1685471-projeto-traz-ancestralidade-africana-e-documentacao