Breaking News

Quimbanda no Rio Grande do Sul – Magia Negra? – PARTE1

Primeiramente é bom desmistificarmos a ideia sobre os Exus e Pombas Giras, e para iniciarmos vou tentar conceituar sobre esta definição.

O que na verdade são exus e pombas-giras?

quimbanda1Os exus e pombas-giras nada mais são, senão o que chamamos de Kiumba, logo este nada mais é do que o marginal do baixo astral, e também é considerado um tipo de obsessor. Espíritos endurecidos e maldosos, que fazem o mal pelo simples prazer de fazer, e tudo o que é da luz e o que é do bem, querem a todo custo destruir. Esses espíritos, “Kiumbas”, vivem onde conhecemos por “Umbral” onde não há ordem de espécie alguma, onde não há governantes e é cada um por si. Muitas vezes são recrutados através de propinas.

Todo Exu ou Pomba-gira chefe de quimbanda, astralmente falando, por serem mais fortes e poderosos, capturam no baixo plano estes Kiumbas e aprisionam em suas casinhas de exu/pomba-gira para que estes então trabalhem para eles.

Sempre que um consulente necessitar de uma ajuda espiritual, os trabalhos serão designados a estes Kiumbas para realizarem a tarefa e em troca receberão restos de charutos, bebidas, farrapos de roupas.

Para cada trabalho bem sucedido, uma nova recompensa e cada vez mais estas vão ficando de melhor qualidade, até que haverá um momento em que estes não mais serão suficientes e então o Chefe de Quimbanda terá que liberar este Kiumba para fazer o seu próprio exército de Kiumbas.

quimbanda12

Assim é realizado então no Plano Astral inferior um encontro com os lideres de cada falange, neste ato o Kiumba ora liberto deverá escolher a qual falange gostaria de pertencer, após esta escolha lhe é concebido um nome de acordo com esta falange, e por isso que vemos tantos Exus Tiriri, Sete Cruzeiros, Sete Catacumbas, Maria Padilha, Maria Molambo, Maria Quitéria, etc…

Estes nomes servem apenas para identificar a qual falange eles pertencem, pois no Plano Astral são chamados pelos nomes que aqui no Plano Terrestre possuíam.

Continua….

 

556777_232056923625881_3672318_nSou Pai Adriano T’ Ogun Adjolá – Cultuador de Orìsà desde 1993, nação Nagô-Afrosul pela vertente de Cabinda, em Porto Alegre/Rio Grande do Sul. Filho da Yalorisà Tais de Xapanã Jobiteìú.

Telefone de Contato: (51) 9339-3868 – (51) 8574-4305