Breaking News

Rei nigeriano faz visita à Pedra de Xangô

 

Meire Oliveira | Qui, 31/07/2014 às 23:22 | Atualizado em: 01/08/2014 às 08:25

Uma das 38 esposas do rei entoou cântico sagrado dedicado a ele em visita ao Terreiro do Gantois
Uma das 38 esposas do rei entoou cântico sagrado dedicado a ele em visita ao Terreiro do Gantois
Marco Aurélio Martins | Ag. A TARDE

 

A  Pedra de Xangô – situada no bairro de Cajazeira X – será o primeiro espaço alvo da Lei do Tombamento sancionada pelo prefeito ACM Neto em janeiro deste ano. O anúncio foi feito durante visita do rei do Império de Oyó, Lamidi Olayiwola Adeyemi III, ao local, na tarde desta quinta-feira, 31.

“Até o final deste ano, devemos concluir a regulamentação da lei e o tombamento da Pedra de Xangô, que será o primeiro sítio tombado. A área reúne um patrimônio material e imaterial e a proposta é intervir o mínimo. É um bem que deve ser cuidado”, disse o presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro.

A atividade encerrou o 1º Seminário para Preservação do Patrimônio Cultural Compartilhado entre o Brasil e a Nigéria.

“Esse anúncio é a prova da força de Xangô e da nossa união, que permanece mesmo com a distância. É prova que a justiça que esperamos será realizada. Nossa tradição nunca morrerá, pois somos um só povo que edifica a tradição africana”, disse o rei do Império de Oyó.

“Sinto alegria e alívio por saber que uma ação prática para a preservação da pedra está mais próxima. O tombamento da pedra e do seu entorno irá garantir a continuidade dos ritos que ocorrem aqui por conta da relação com Xangô”, afirmou a presidente da Associação dos Terreiros de Candomblé de Águas Claras, Cajazeiras e Adjacências Pássaros das Águas, Mãe Iara de Oxum, do Terreiro Ilê Tomin Kiosisé Ayó.

A parceria entre a Associação Religiosa de Cooperação entre Terreiros (Ardecente) e a Pássaro das Águas tem a meta de incluir a Caminhada da Pedra de Xangô no calendário oficial da cidade.

“A proposta é fazer ritos como a Fogueira de Xangô na região e assegurar que a mão de obra das intervenções na área seja de pessoas da religião por entender que o espaço é sagrado e exige conhecimento específico para o manejo”, contou a coordenadora geral da Ardecente. A entidade tem o propósito fornecer consultoria jurídica gratuita na formalização dos templos e organização fundiária.

Agradecimento

Em homenagem ao Alaafin de Oyó, nomenclatura para o rei do antigo Império de Oyó, foi descerrada uma placa registrando sua passagem pelo local, pelo Conselho Municipal das Comunidades Negras (CMCN) e Secretaria Municipal da Reparação (Semur).

“Essa harmonia que ele trouxe, reunindo aqui religiosos de várias nações só fortalece nossa luta para preservação das áreas de referência da nossa cultura”, disse o presidente do CMCN, tata Eurico Alcântara.

O rei Lamidi Olayiwola Adeyemi III também vai levar para a Nigéria uma réplica da Pedra de Xangô – entregue por Mãe Iara- e um oxê, um  machado de duas lâminas e um dos instrumentos que simbolizam o orixá Xangô.

O presente foi produzido pela designer de joias e artista plástica Andréa Barbosa. “É uma homenagem ao rei com o símbolo mais emblemático de Xangô para que essa energia siga com ele e sua comitiva no retorno à Nigéria”.

 

 

Extraído do Portal A Tarde

http://atarde.uol.com.br/bahia/salvador/noticias/rei-nigeriano-faz-visita-a-pedra-de-xango-1610727