Breaking News

Religiões afro bradam contra intolerância na Capital

Incêndio criminoso em centro de umbanda motiva pedido de respeito em evento

Valdelice Bonifácio | sexta, 11 de março de 2016 – 17h07

 (Foto: Marco Miatelo) Sacerdotisa Claudinėia da Silva, registrou um boletim de ocorrência na delegacia
(Foto: Marco Miatelo) Sacerdotisa Claudinėia da Silva, registrou um boletim de ocorrência na delegacia

 

Adeptos de cultos afro-brasileiros de Mato Grosso do Sul farão do evento 2º Samba de Caboclo um brado contra a intolerância religiosa. O ato será realizado neste sábado, dia 12, na Praça do Preto Velho, na Vila Progresso, em Campo Grande, a partir das 15 horas. O pedido de respeito é um sinal de apoio ao centro de umbanda que foi invadido e incendiado nesta semana na Capital.

O presidente da Federação dos Cultos Afro-brasileiros e Ameríndios (Fecams), Irbs Santos, acredita que o incêndio criminoso foi um ato de preconceito religioso. Por isso, ele decidiu transformar o evento de amanhã em uma manifestação em defesa da liberdade e do respeito. “Faremos faixas com dizerem contra esses atos criminosos que estão ocorrendo em todo Brasil e agora chegaram aqui também”, afirma.

A líder religiosa do centro de umbanda Vovó Maria Conga que foi atacado, sacerdotisa Claudineia da Silva, registrou um boletim de ocorrências e aguarda providências da polícia. O centro fica localizado no Jardim Tijuca. Na madrugada de quinta-feira, os bandidos entraram pelo telhado e incendiaram a sala onde ela presta culto às entidades. “Perdi tudo o que estava aqui. Os chapéus e as capas das entidades foram destruídas. Ninguém roubou nada. A intenção não era roubar. Pra mim, é um caso de intolerância mesmo”, opina.

Claudineia da Silva afirma que as atividades religiosas são realizadas no mesmo local há sete anos e nunca houve qualquer problema com vizinhos ou quem quer que seja. “Já teve ladrão aqui para roubar, mas destruir o local dos trabalhos é a primeira vez”, conta.

Evento – O 2º Samba de Caboclo será realizado na Praça do Preto Velho, na confluência da Avenida Fábio Zahran com a Salgado Filho, a partir das 15 horas.
9o3a9679 9o3a9653 9o3a9641 9o3a9639

 

Extraído do site de notícias do Diário Digital / Campo Grande – MS
Leia mais em:

http://www.diariodigital.com.br/geral/religioesafrobradamcontraintolerancianacapital/142063/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *