Breaking News

Religiões de matriz africana debatem ações contra intolerância no Amapá

Data: 07/05/2016

em: Casos de Preconceito

 

intolerancia-religiosa-150x150

Evento iniciou as celebrações do Dia Estadual de Cultos Afro Religiosos.
Programação ocorre até o dia 9 de maio, com palestras e atos culturais.

no G1

Representantes de religiões de matriz africana no Amapá se reuniram nesta sexta-feira (6) para debater sobre políticas públicas de combate à intolerância no Amapá. O evento iniciou as celebrações do Dia Estadual de Cultos Afro Religiosos, comemorado no dia 8 de maio.

De acordo com a representante da Secretaria Extraordinária de Políticas para Afrodescendentes (Seafro), Nubia Souza, a programação se estende até o dia 9 de maio, com palestras e atos culturais, que visam o combate ao preconceito religioso e racial.

“Este é um momento fundamental para as religiões de matriz africana no Amapá. Várias ações foram desencadeadas no Amapá. Muitos promovem a intolerância por não conhecer e temos que reafirmar todos os dias as políticas de diversidade”, enfatizou.

Durante o encontro, foi debatida a proposta de criação da Delegacia Especializada em Repreensão a Crimes de Racismo e Intolerância no Amapá. O advogado presidente da Comissão da Verdade da Escravidão Negra, Danilo Martins, explica que um projeto foi aprovado em 2015, mas a gestão estadual necessita de recursos para a implantação.

“O governo reconheceu a necessidade, pois a intolerância ainda é presente diariamente no cotidiano de membros de religiões de matriz africana. São pais, mães, crianças que são alvos do preconceito. O projeto foi aprovado, mas é preciso que se obtenha recursos para a criação da delegacia”, disse.

O secretário de Justiça e Segurança Pública, Gastão Calandrini, disse que o projeto engloba diversos seguimentos considerados minorias, como deficientes físicos, LGBT e afrodescentes no Amapá.

“O projeto está pronto para abranger o público da minoria que é vulnerável a sofrer a violência da intolerância. Mas ainda não tem previsão para ser criado, porque é preciso melhorar o ambiente econômico no Amapá para dar continuidade na parte prática”, ressaltou o secretário.

Durante a cerimônia, ocorreu a entrega de selos de promoção da Igualdade Racial, concedidos a 36 pessoas e representantes de entidades que promovem políticas da igualdade racial no Amapá.

Leia a matéria completa em: Religiões de matriz africana debatem ações contra intolerância no Amapá – Geledés http://www.geledes.org.br/religioes-de-matriz-africana-debatem-acoes-contra-intolerancia-no-amapa/#ixzz48AxwD2V8
Follow us: @geledes on Twitter | geledes on Facebook

 

Extraído do portal de notícias Afro Geledés.org
http://www.geledes.org.br/religioes-de-matriz-africana-debatem-acoes-contra-intolerancia-no-amapa/?utm_source=Atualiza%C3%A7%C3%A3o+Di%C3%A1ria+Geled%C3%A9s&utm_medium=email&utm_campaign=ba26b7ed2a-RSS-NEWS-Portal-Geledes&utm_term=0_b0800116ad-ba26b7ed2a-354029485

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *