Breaking News

Religiosos criticam novo órgão da prefeitura do Rio

Data: 09/05/2016

em: Discriminação e Preconceitos

 

Coordenadoria da Diversidade Religiosa tem 19 cargos comissionados

POR DANDARA TINOCO, do O Globo 

fotonoticia-011013_ivanir_dos_santos_SS2-150x150Uma Coordenadoria Especial de Respeito à Diversidade Religiosa, ligada à Secretaria municipal da Casa Civil, virou motivo de descrença de alguns líderes religiosos no Rio. Decreto, publicado no Diário Oficial do Município no dia 7, prevê que o órgão atue na “promoção de uma cultura de respeito à livre orientação religiosa” com uma estrutura de 19 cargos comissionados e funções gratificadas, dos quais sete já foram preenchidos. Integrantes da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), organização da sociedade civil, questionam a experiência dos indicados e a falta de diálogo do Executivo com entidades ligadas à área.

Nomeado como coordenador, Erinaldo Almeida Peixoto afirma ter sido escolhido “por uma questão técnica”. Ele é apresentador de um programa da rádio sobre a Baixada Fluminense e era presidente do Partido Republicano Progressista (PRP) de Mesquita até a semana passada. De acordo com o Portal da Transparência da Câmara, o vencimento bruto do cargo é de R$ 10.879,75.

Em carta enviada ao prefeito Eduardo Paes, a CCIR solicita uma audiência para esclarecer alguns pontos do decreto que criou a coordenadoria. No texto, a comissão questiona a formação profissional dos membros escolhidos, suas qualificações para o desempenho das funções e o porquê de não ter havido discussão que “legitimasse a iniciativa”.— Criar uma coordenadoria como essa é positivo, mas estamos preocupados com a forma com que essa política será executada. Não fomos procurados para dialogar. As pessoas cujos nomes já foram publicados não têm histórico de atuação na área — critica o babalaô Ivanir dos Santos.

Em entrevista por e-mail, Peixoto defendeu-se e citou sua formação em ciências sociais pela UFF, com especialização em sociologia e pós-graduação em gestão de recursos humanos. Disse ainda que nunca exerceu cargos políticos e é filiado a um partido “como qualquer brasileiro militante”. Nas redes sociais, Peixoto aparece em fotos saudando integrantes do partido, gravando programas eleitorais, convidando para reuniões.

Coordenador da Comissão Arquidiocesana pelo Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso, o padre Fábio de Souza informou que a Arquidiocese do Rio não sabia da criação da coordenadoria.

— Para nós, é um fato novo. Só é importante que possamos coordenar nossos trabalhos, embora ninguém seja obrigado a caminhar junto.

 
Extraído do portal de notícias Afro Geledés.org
Leia a matéria completa em: Religiosos criticam novo órgão da prefeitura do Rio – Geledés http://www.geledes.org.br/religiosos-criticam-novo-orgao-da-prefeitura-do-rio/#ixzz48BDu9vYg
Follow us: @geledes on Twitter | geledes on Facebook

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *