Breaking News

Roda de Capoeira recebe título de Património da Humanidade

29.11.2014

 

21219Roda de Capoeira recebe título de Património da Humanidade

  

Reconhecimento da UNESCO representa uma conquista
para a cultura brasileira e valoriza as raízes africanas no País

 

 

Lisboa, 27 de novembro de 2014. – Uma das manifestações culturais mais conhecidas no Brasil e reconhecidas no mundo, a Roda de Capoeira recebeu, nesta quarta-feira (26), o título de Património Cultural Imaterial da Humanidade. O título foi concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

O reconhecimento vai além da mera documentação e anúncio do facto; passa também pela representação da identidade brasileira, sua história e costumes, bem como difunde os valores éticos da prática.

“Está é mais uma importante vitória para a cultura brasileira. O reconhecimento da Roda de Capoeira como património pela UNESCO promove e apresenta ao mundo a diversidade cultural do Brasil. O nosso País foi formado por distintos grupos e esperamos que o turista estrangeiro possa reconhecer e admirar, também na Capoeira, as nossas raízes africanas”, destacou o presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR), Vicente Neto.

 

Segundo a presidente do Instituto do Património Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, a inscrição da Roda de Capoeira na lista representativa promoverá também o aumento da visibilidade desse e de outros bens culturais relacionados aos movimentos de luta contra a opressão, sobretudo aqueles pertencentes às comunidades afrodescendentes.

“A roda de capoeira expressa a história de resistência negra no Brasil, durante e após a escravidão. O seu reconhecimento como património demarca a consciencialização sobre o valor da herança cultural africana, que, no passado, foi reprimida e discriminada”, conclui Jurema.

 

Com o título, a prática cultural afro-brasileira – que é ao mesmo tempo luta, dança, desporto e arte – reúne-se agora ao Samba de Roda do Recôncavo Baiano (BA), à Arte Kusiwa-Pintura Corporal (AP), ao Frevo (PE) e ao Círio de Nazaré (PA), também reconhecidos como Património Cultural Imaterial da Humanidade.

História

Originada no século XVII, em pleno período escravista, a capoeira desenvolveu-se como forma de sociabilidade e solidariedade entre os africanos escravizados, estratégia para lidarem com o controle e a violência.

Hoje, é um dos maiores símbolos da identidade brasileira e está presente em todo território nacional, além de praticada em mais de 160 países, em todos os continentes.

A Roda de Capoeira e o Ofício dos Mestres de Capoeira foram reconhecidos como patrimônio cultural brasileiro pelo Iphan em 2008, e estão inscritos no Livro de Registro das Formas de Expressão e no Livro de Registro dos Saberes, respectivamente.

Profundamente ritualizado, o espaço da Roda reúne cantos e gestos que expressam uma visão de mundo, uma hierarquia, um código de ética, e revelam companheirismo e solidariedade.

É na roda de capoeira que se formam e se consagram os grandes mestres, se transmitem e se reiteram práticas e valores tradicionais afro-brasileiros. Forma redes de sociabilidade, gera identidades comuns e laços de cooperação entre seus integrantes. É o lugar de socialização de conhecimentos e práticas; de aprender e aplicar saberes, testar limites e invenções, reverenciar os mais velhos e improvisar novos cantos e movimentos.

Metaforicamente representa a roda do mundo, a roda da vida, onde há lugar para o inesperado, onde ora se ganha ora se perde. A roda também tem a função de difundir os símbolos e valores relacionados à diáspora africana no território brasileiro. Leva a mensagem de resistência sobre o sistema escravagista.

Vídeo ilustrativo (IPHAN): https://www.youtube.com/watch?v=_HeWO3vmCXY

Link com fotos: http://we.tl/TFQEF04cZL

 

Extraído do site russo Pravda
http://port.pravda.ru/sociedade/cultura/29-11-2014/37689-roda_capoeira-0/