Breaking News

São 35 partidos. Mas há 56 na fila

POR ILIMAR FRANCO

Distintivo Criativo do Corinthians

O Brasil pode se transformar no país com o maior número de partidos do Planalto. São 35 os já registrados e destes 26 têm representantes na Câmara dos Deputados. Mas no TSE existe uma lista de 56 novas legendas pedindo seu registro para funcionamento.

Um dos processos tem como finalidade formar o Partido Nacional Corinthiano (PNC). Outros querem fazer renascer siglas como a ARENA (Aliança Renovadora Nacional), o PDC (Partido Democrata Cristão), o PRONA (Partido da Reedificação da Ordem Nacional) e até a UDN, com dois nomes diferentes: a União Democrática Nacional (que já existiu) e a União pela Defesa Nacional.

Há pedidos para formar partidos que se propõem tratar de temas setoriais, como: Esporte (PE), Saúde (PNS), Pequeno e Micro Empresário (INOVABRASIL), Liberdade de Expressão Afro-Brasileira (PPLE), Militar (PMBR), Defensores da Ecologia (PDECO), Ecológico Cristão (PEC), Indígena (PNI) e da Organização Democrática dos Estudantes (PODE).

Algumas das siglas chamam a atenção por serem diferentes de quase tudo que está aí. São, por exemplo: ANIMAIS, PIRATAS, MANANCIAL, RAIZ, PACO, PISC, IDE, PRUAB, UDCdoB e PGTdoB, entre outros. É uma verdadeira sopa de letrinhas.

Estas informações estão na página do TSE na internet e sua mais recente atualização ocorreu em 15 de dezembro.

 

 

Extraído da coluna Panorama Político, de Ilmar Franco, do Jornal O Globo / Rio de Janeiro – RJ
http://blogs.oglobo.globo.com/panorama-politico/post/sao-35-partidos-mas-ha-56-na-fila.html?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_content=blogs-panorama-politico&utm_campaign=newsdiaria

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *