Tem Santo Antônio, tem São Pedro e São João!

PorBruno Viterbo

Postado em 8 de junho de 2017

 

Estamos em junho: é tempo de festa, vinho quente, pé-de-moleque, quentão e todos os sabores e ritmos das festas juninas. Que, aliás, estendem-se até julho – para aproveitar as férias da garotada – e, algumas, aproveitam o mês de agosto para festejar.

Tradicionalmente, o Brasil celebra as festas juninas em devoção aos santos. Mas não é só por aqui que o mês é cercado de alegria: em outros países – como Noruega e Irlanda – junho é a “celebração do meio do verão”, já que essas nações estão no Hemisfério Norte começam a curtir a estação mais quente do ano, enquanto nós, a mais gelada.

Deu para perceber que há algo em comum entre as comemorações, ali e acolá: sol, calor, fogo, fogueira… É tempo de São João! O dia 24 de junho é a data do santo católico, mas por aqui também celebramos outros santos: Santo Antônio, no dia 13; e São Pedro, em 29 de junho.

Mas falar de todas essas características religiosas predominantemente europeias não faz sentido se não falarmos do sincretismo religioso no Brasil. País de raças miscigenadas – mas ainda estruturalmente racista – tem nas religiões afro e afro-brasileiras mais formas de pedir as bênçãos aos santos e celebrá-los: seja no Catolicismo, seja na Umbanda, seja no Candomblé.

Os negros escravos trouxeram da mãe África seus costumes e ritos. Em solo brasileiro buscaram manter sua identidade – que ultrapassa gerações – por meio, também, da religião. No entanto, os riscos eram grandes: por conta do preconceito, as manifestações religiosas dos negros eram perseguidas pela branca e católica coroa portuguesa. Onde ficariam os Orixás protetores dessa gente?

A saída foi encontrar características comuns dos santos nos Orixás. E, assim, sincretizado na fé e carregado de axé, surgia a mistura das duas religiões formadoras da identidade brasileira. Por aqui, São João é sincretizado com Xangô, Orixá da Justiça – que também é relacionado com São Jerônimo. Essa “mistura” com várias definições se dá pelo número menor de Orixás em relação aos santos católicos. São Pedro também é relacionado a Xangô. Já Santo Antonio, o “santo casamenteiro”, é sincretizado com Ogum, o Orixá guerreiro, na Bahia. Em outros lugares, é relacionado com o Orixá comunicador Exu.

Agora que você já sabe um pouco de nossa mistura de crenças, clique AQUI e confira algumas das festas que vão rolar na Zona Norte. Ah, e outra coisa: no próximo dia 15 é celebrado o Corpus Christi – Cristo é sincretizado com Oxalá, o Orixá da Paz.

arte: José Luiz

 

 

Extraído do site do jornal SP Norte / São Paulo – SP
https://www.jornalspnorte.com.br/tem-santo-antonio-tem-sao-pedro-e-sao-joao/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *