Breaking News

Tempo de Brincar estreia ‘Ciranda dos Orixás’

29/07/16 | Felipe Shikama - felipe.shikama@jcruzeiro.com.br    
   Elaine Buzato e Valter Silva - ALDO V. SILVA/ARQUIVO JCS
Elaine Buzato e Valter Silva - ALDO V. SILVA/ARQUIVO JCS
A poesia e a beleza da cultura afro-brasileira dançam de mãos dadas na Ciranda dos Orixás, novo espetáculo da Cia. Tempo de Brincar, que estreia domingo, às 16h, no teatro do Sesc Sorocaba. Os ingressos custam R$ 17 (inteira) e crianças com até 12 anos não pagam. Até o fechamento desta edição ainda havia ingressos à venda. O espetáculo musical traz canções autorais baseadas nos toques e cânticos tradicionais da umbanda e do candomblé, com narrativas que abordam os orixás e suas relações com diferentes elementos da natureza. Atriz, cantora e responsável pela dramaturgia, confecção de bonecos, figurinos e cenário do espetáculo, Elaine Buzato afirma que o show tem a proposta singela de instigar a curiosidade das crianças, "para que a riqueza cultural que nós herdamos do continente africano passe a ser mais respeitada e valorizada". Entrecortado por passagens teatralizadas com bonecos, o musical foi formatado a partir de canções compostas por Valter Silva especialmente para o bloco Tempo de Brincar, que em 2015 animou o Carnaval do Sesc Sorocaba com um cortejo festivo em homenagem aos orixás -- como são chamados as divindades africanas -- e mitos da cultura popular brasileira, como saci, boitatá e boi bumbá. O espetáculo conta com nove músicas, que estabelecem relações entre os orixás e elementos da natureza, como Xangô e os raios, Iansã e as chuvas e tempestades, Oxumarê e o arco-íris, e Ogum, que no sincretismo brasileiro, segundo o compositor, passou a ser representado na imagem de São Jorge. Paralelamente ao espetáculo que estreia domingo, Valter e Elaine se preparam para entrar no estúdio na semana que vem para gravar 14 faixas que farão parte do CD Ciranda dos Orixás, cujo o lançamento deve ocorrer em novembro deste ano. No palco, o casal estará acompanhado por Barba Marques e Marco Corrêa (percussão), Alexander de Souza (saxofones) e das cantoras mirins Beatriz Buzato e Maria Clara Leite. Embora seja o décimo segundo espetáculo do repertório da Cia. Tempo de Brincar, esta homenagem aos orixás e à cultura afro-brasileira é a realização de um sonho antigo de Valter, que no final da década de 1980 participou como ogã (tocador de atabaque) de um terreiro de São Paulo que, curiosamente, fundia elementos do candomblé com a umbanda. "Essa experiência me deu muito conhecimento que estava adormecido. Eu brinco dizendo que, agora, quando fui compor, recebi várias canções", conta ele. Além dos toques tradicionais dos cânticos de matriz africana, as composições de Ciranda dos Orixás flertam com outros ritmos como o ponteado com viola caipira, o samba de umbigada e o maracatu. "Estamos todos juntos e misturados e a gente quer exaltar essa mistura, não só a dos ritmos, como a das pessoas, de diferentes cores, crenças e credos", conclui. Serviço O espetáculo musical Ciranda dos Orixás, da Cia. Tempo de Brincar, será apresentado domingo (31), às 16h, no teatro do Sesc Sorocaba. Os ingressos, disponíveis até o fechamento desta edição, custam R$ 17 (inteira), R$ 8,50 (meia) e R$ 5 (credencial plena). Crianças com até 12 anos não pagam. O Sesc fica na rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade .   Extraído do jornal Cruzeiro do Sul / Sorocaba – SP http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/718269/tempo-de-brincar-estreia-ciranda-dos-orixas

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *