Breaking News

Terreiro de Candomblé histórico em São João de Meriti é tombado pelo Inepac

Baixada Fácil

 

candoblé

O Ilê Axé Opô Afonjá, fundado em 1886 na Pedra do Sal e transferido na década de 1940 para o bairro de Coelho da Rocha, em São João de Meriti, se tornou o primeiro terreiro de candomblé tombado no Estado do Rio de Janeiro. O pedido de preservação e conservação do espaço foi feito pela própria comunidade do terreiro que, há oito meses, participou da construção do processo de tombamento em conjunto com profissionais do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac). A Prefeitura de São João de Meriti, por meio da Secretaria de Direitos Humanos e Igualdade Racial e da Subsecretaria de Cultura, também contribuiu auxiliando na ação junto ao instituto.

O tombamento provisório do Terreiro de Candomblé Ilê Axé Opô Afonjá foi publicado no dia 1º de junho, no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro. É também a primeira vez que um terreiro de candomblé é tombado pelo Inepac por conta de sua importância histórica, cultural e etnográfica. Ficam especialmente tombados: a casa principal, que foi construída em 1940, o barracão (área de convivência destinada às cerimônias religiosas), a árvore sagrada (nominada Orixá Iroko) e o bambuzal, além dos bens móveis listados no processo de tombamento.

“A dirigente da casa, a mãe Regina Lúcia, manifestou o desejo de fazer o tombamento e confiou na Secretaria de Direitos Humanos e Igualdade Racial. Levamos esse desejo ao Estado e o Inepac fez um excelente trabalho de pesquisa e fundamentação que surgiu efeito. Isso é ótimo para São João de Meriti e para a história das Religiões de Matrizes Africanas do Rio de Janeiro”, contou o coordenador da superintendência de Igualdade Racial de São João de Meriti, Athaylton Jorge Monteiro Belo, o Frei Tatá.

Para proteger e preservar as tradições culturais do Ilê Axé Opô Afonjá, qualquer ato ou intervenção realizada nas proximidades do Terreiro que possam ameaçar a segurança ou integridade do local ficam sujeitos à legislação de proteção ao patrimônio cultural.

O Terreiro de Candomblé Ilê Axé Opô Afonjá fica localizado na Rua Florisbela, número 1029, no bairro de Coelho da Rocha. Por conta do tombamento, foi relançado um livro que conta a importante história deste candomblé de origem Keto (“Da Pedra do Sal até Coelho da Rocha”), do autor Ed Machado.

 

Saiba o que significa tombamento:

O tombamento é um ato administrativo realizado pelo Poder Público, com objetivo de preservar para a população, por intermédio da aplicação de legislação específica, bens de valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e até afetivo. A intenção é impedir que esses bens venham a ser destruídos ou descaracterizados. O tombamento pode ser promovido pelas esferas federal, estadual ou municipal.

 

Extraído do site Baixada Fácil / Rio de Janeiro – RJ
http://baixadafacil.com.br/municipios/terreiro-de-candomble-historico-em-sao-joao-de-meriti-e-tombado-pelo-inepac-3634.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *