Breaking News

Terreiro de Umbanda promove campanha nacional para família indígena

22/2/2017 - 14:19
Por Henrique d´Avila
Durante os meses de fevereiro e março, o Templo dirigido pelo casal Alíssio Tully (pseudônimo) e Kelly Sanchez, juntamente com todos os médiuns e voluntários, promoverá mais uma ação social, em prol da família Foyá (com cerca de 300 pessoas) da tribo Fulni-ô, de Águas Belas/PE.  
O C.E.U. Estrela Guia - Centro Espiritualista de Umbanda, promove nos meses de fevereiro e março mais uma ação solidária umbandista de forma justa e perfeita, em prol da família Foyá da tribo Fulni-ôs - localizada em Águas Belas/PE, que por ironia do destino estão sem água potável há 5 anos, em virtude da seca castigante da região. Com a estiagem, todos os recursos naturais acabaram incluindo a extinção do braço do Rio São Francisco que abastecia a região. A tribo, de origem pernambucana, é a única do Nordeste que conseguiu preservar a própria língua, o Ia-tê. O português também é ensinado na aldeiaHoje,  a família Foyá dos Fulni-ô, não conseguem viver apenas de roça, pesca e caça. É necessário que saiam da aldeia para trabalhar na cidade. Porém, os trabalhos costumam ser precários, apesar de alguns indígenas concluírem a graduação. Basicamente sobrevivem do artesanato, rico em detalhes, tais como cocares, maracas, arco-flecha, brincos, colares e pulseiras.

Todo ano, os Fulni-ô migram para outra região mais afastada e passam três meses isolados dos não-índios. Lá, realizam rituais como o Ouricuri e podem viver apenas de roça, caça e pesca – assim como desejam. Esta cultura é muito fechada. Há coisas que não mostram. Porque segundo os próprios índios, mostrar é revelar os segredos da sobrevivência que os deixa fortes. Este ritual faz parte da cultura há mais de 500 anos.

 O C.E.U. Estrela Guia é uma instituição religiosa sem fins lucrativos localizada na rua Itapiru, 847- metrô saúde e funciona todas às sextas-feiras das 19:00 às 22:00 sem qualquer tipo de cobrança, e é conhecido nacionalmente por levantar a bandeira das necessidades a serem trabalhadas.
"Desde a nossa primeira campanha em maio de 2015, data de fundação do Templo, todos os meses temos alcançado um número cada vez maior de doações para as instituições que escolhemos, onde cada escolha é focada basicamente na necessidade que nos são apresentadas. 

Invariavelmente são casas mantidas por voluntários que, num ato de amor puro as mantém de portas abertas (tal qual o C.E.U. Estrela Guia - mantido por doações do Corpo Mediúnico e voluntários). E com esse espírito de generosidade nos incumbimos de dar continuidade neste tipo de trabalho filantrópico com muito amor e desprendimento. Porém fugindo um pouco desta vertente, O C.E.U. Estrela Guia identificou a necessidade extrema de auxílio desta família indígena e onde estamos empenhados em ajudá-los numa campanha nacional, onde diversos outros templos de Sp aderiram a iniciativa. Até mesmo pessoas não ligadas à Umbanda têm nos procurado com o mesmo objetivo, amar e amparar àqueles que necessitam, em particular à este povo que são os verdadeiros descobridores do nosso País. Eles carregam a sabedoria ancestral e a conexão com a natureza. Vamos ajudá-los sempre".  - conclui Kelly Sanchez - dirigente do C.E.U. Estrela Guia.
 
Desde já agradecemos a todas manifestações de amor, carinho e benevolência.
A fome dos generosos é a sede de servir.


Necessidades: Alimentos não perecíveis e/ou água.
As doações podem ser levadas ao - no dia de atendimento
C.E.U. - Centro Espiritualista de Umbanda Estrela Guia
Rua Itapiru, 847 - Metrô Saúde - São Paulo - SP
Às sextas-feiras das 18:00 até às 22:00 - exceto dia 24/02
Fonte: Release enviado por Henrique d´Avila por e-mail

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *