Breaking News

Terreiro de Xambá, no Recife, celebra Oxum, orixá da fertilidade

Dia de Nossa Senhora do Carmo também é dia de festa nos terreiros.

Sincretismo da matriz africana com religião católica existe há séculos.

Do G1 PE | 16/07/2014 14h08 – Atualizado em 16/07/2014 14h08

 

13

O dia de Nossa Senhora do Carmo também é celebrado nos terreiros de candomblé. A santa representa, nas religiões de matriz africana, o Oxum, orixá das águas doces, do ouro e da fertilidade. Nesta quarta (16), no terreiro de Xambá, no Recife, várias gerações do candomblé se reuniram para celebrar o orixá.

Como os negros eram proibidos de fazer cultos africanos, em 1580, eles colocavam imagens dos santos católicos no altar das senzalas, mas na verdade estavam adorando aos orixás. “A cada santo da igreja católica que se assemelhasse aos deuses da África, eles colocavam em santidade. E com essa semelhança de Nossa Senhora do Carmo, que Oxum é também a mãe da fertilidade, há o sincretismo da matriz africana com a religião católica”, explica o Ialorixá Ivo de Xambá.

Vaidosa, Oxum é também conhecida pela beleza. “Nas oferendas que são feitas, nós temos o peiji, que é o local onde fazemos as obrigações orixás. Oxum é o orixá que gosta de cabra, de galinha. E também nós temos a oferenda no rio, em que levamos flores, doces. A maioria dos terreiros faz a chamada cesta de Oxum, em que dentro dela vai bijuteria, louça. Porque Oxum é uma mulher vaidosa e vai tudo o que ela gosta”, conta o Ialorixá.

No terreiro de Xambá, as gerações de candomblé se encontram durante os festejos. Neto e Vitória foram crianças batizadas como filhos de Oxum, como conta a filha de santo Glória Oliveira. “A partir de quando a criança nasce, a gente traz aqui no terreiro, o Babalorixá coloca os búzios e [a criança] tem a felicidade de ser escolhido pelo Ialorixá. Eles foram escolhidos por Oxum. Isso quer dizer que a vida deles vai ser belíssima, que Oxum é a deusa da beleza, da fertilidade, da saúde”, afirma.

O terreiro Xambá, um dos mais conhecidos de Pernambuco, é o terceiro quilombo urbano do Brasil e, atualmente, é coordenado por Ivo de Xambá, filho de Mãe Biu, que faleceu há 21 anos.

Extraído do Portal G1 – Recife

Assista ao vídeo da matéria no site abaixo.

http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2014/07/terreiro-de-xamba-no-recife-celebra-oxum-orixa-da-fertilidade.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *