Breaking News

Tijucana e organizadora do Prêmio Afro, Ruth Pinheiro será homenageada no Dida Bar

Ativista milita pela causa negra desde a década de 1970

 

POR RODOLFO MAGESTE

21/07/2017 13:07

Ruth Pinheiro na janela do Dida Bar, na Praça da Bandeira – Analice Paron / Agência O Globo

 

Ativista do movimento negro desde a década de 1970, a tijucana Ruth Pinheiro será homenageada terça-feira, a partir das 18h, com um jantar cubano no Dida Bar, na Praça da Bandeira, por conta do Dia da Mulher Negra Latino-Americana, comemorado todo dia 25 de julho.

Atualmente residindo em Vila Isabel, Ruth, que também já morou em vários outros locais na região, preside a Rede Brasil Afro Empreendedor (Reafro) há dois anos.

— Estamos presentes em 12 estados. Fazemos a ponte entre os empreendedores que nos procuram, e que cadastramos, com os órgãos de fomento. E ainda incentivamos o poder público a criar ações em prol desses empreendedores — explica Ruth.

Além disso, a ativista é uma das organizadoras do Prêmio Nacional de Expressões de Cultura Afro-Brasilera, mais conhecido como Prêmio Afro. A quarta edição do evento está marcada para o próximo dia 31, às 19h, no Teatro Rival, no Centro.

— O projeto surgiu em 2006, mas a primeira premiação só foi realizada em 2010, por falta de recursos. Tivemos depois em 2011 e 2015. Este ano, teremos 11 categorias contempladas. A cerimônia será uma espécie de cabaré, onde teremos uma encenação. Entre as apresentadoras contaremos com as atrizes Zezé Mota e Heloísa Jorge e a atriz e cantora Rosa Marya Colin — detalha Ruth.

Outro feito da tijucana foi ter fundado, em 1988, ao lado do marido, Osvaldo Neves, o Instituto Palmares de Direitos Humanos, responsável pela Casa de Cultura Brasil-Nigéria, com sede na Lapa.

Extraído do site do Jornal O Globo / Rio de Janeiro – RJ
Leia mais: https://oglobo.globo.com/rio/bairros/tijucana-organizadora-do-premio-afro-ruth-pinheiro-sera-homenageada-no-dida-bar-1-21607591#ixzz4nZoYwUGW 

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *