Breaking News

Tradição há 128 anos, festa do Bembé do Mercado vai até domingo em Santo Amaro

Único candomblé de rua do mundo comemora libertação dos negros escravizados em 1888; veja programação.

 

 

Por G1 BA

11/05/2017 09h36  Atualizado há 7 horas

Festa do Bembé do Mercado completa 128 anos de tradição (Foto: Lázaro Menezes/Divulgação)

A cidade de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano, é palco, até domingo (14), da festa do Bembé do Mercado, único candomblé de rua do mundo. Com 128 anos de tradição, o evento, que começou na quarta-feira (10), comemora a libertação dos negros escravizados em 1888. Este ano, a festa homenageia o Terreiro Tumba Junçara, que completa 98 anos e é tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac.

No Bembé do Mercado, mais de 40 terreiros de candomblé de várias nações vão as ruas. Registrado como Patrimônio Imaterial da Bahia desde 2012, a partir de pesquisas e proposta do Ipac, o Bembé do Mercado também contará com apresentações de manifestações culturais diárias, no Largo do Mercado, das 19h às 21h. Na sexta (12), às 21h30, Ana Mameto, Cortejo Afro e Rebeca Tárique animam a festa.

Já no sábado (13), às 21h30, acontece o ‘Xirê’, em que um barracão é montado no Largo do Mercado, marcando a comemoração da assinatura da Lei Áurea em 13 de maio de 1888, formando o maior candomblé de rua do Brasil. No último dia do evento, domingo (14), às 14h, o povo de santo sairá do Largo do Mercado em direção à praia de Itapema, também em Santo Amaro, para fazer a entrega do presente à Iemanjá.

Entrega do presente a Iemanjá ocorre no domingo e marca encerramento da festa (Foto: Lázaro Menezes/Divulgação)

 

Extraído do portal de notícias G1 / Bahia
http://g1.globo.com/bahia/noticia/tradicao-ha-128-anos-festa-do-bembe-do-mercado-vai-ate-domingo-em-santo-amaro.ghtml

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *