Breaking News

TREZENA IPCN DA LIBERDADE TERRÍTÓRIO E IDENTIDADE

 

13 a 25 de maio – 9 às 22 horas- 13 dias de reflexão.

Entrada Franca

realização: IPCN – Instituto de Pesquisa das Culturas Negras – Avenida Mem de Sá, 208.

Entrada Franca

IPCN, Terreiro de Ideas Políticas

(www.recuperacaodoipcn.blogspo)

A Roda da História uniu-se ao tempo e recolocou o Instituto de Pesquisa das Culturas Negras – IPCN, 42 anos,de volta ao epicentro do debate, em torno do fim do colonialismo África (Portugal, último invasor a sair do continente) e o fim da diáspora do africano (Brasil, último país a abolir a escravidão). Estas duas tragédias da História da Humanidade tem datas: 25 e 13 de maio, respectivamente.

Atento aos sinais dos tempos, o Instituto de Pesquisa das Culturas Negras sedia a Trezena IPCN da Liberdade, Território e Liberdade – 13 a 25 de maio de 2017 – 9 às 22 horas.

PROGRAMAÇÃO:

Rio, 22/05/2017 – Hoje é dia de cinema e palestra sobre o Continente Africano. O Professor (de Guiné Bissau) Maurício Tchinho Kaabunke. Ele irá desenvolver o tema ÁFRICA OESTE: História das Ocupações Árabes e Católica. Já o cineasta brasileiro, Delanir Cerqueira estará presente, na exibição de seu documentário NOS SOMOS ANGOLANOS. Tanto Delanir Cerqueira quanto Maurício Kaabunke estão à disposição dos convidados da TREZENA IPCN DA LIBERDADE, TERRITÓRIO E IDENTIDADE para polêmicas, discordâncias e contribuições intelectuais.

Amanhã, terça-feira, dia 23 de maio o tema será REPARAÇÃO: DIREITO & JUSTIÇA.

Avenida Mem de Sá, 208 – Cruz Vemelha

12º dia – 24/05 (Quarta-feira)

– Exposição e atividades literárias, musicais e infantis. Veralinda Menezes (Escritora) – 9 – 22:00Hs

– Produção Cultural: Príncipes Negros

13º dia – 25/05 (Quinta-feira)

– DIA DA ÁFRICA. Resp: José Hossi – Consulado de Angola – 18:00Hs

Av. Mem de Sá, 208 – Praça Cruz Vermelha

ENTRADA FRANCA

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *