Breaking News

Vivo Rio, lotado, conhece os vencedores do Prêmio Camélia 2013

O Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) promoveu, nessa última quarta-feira (24), a sétima edição do Prêmio Camélia da Liberdade. O evento foi realizado nas dependências da casa de espetáculos Vivo Rio, no Aterro do Flamengo. Com o tema a “Pequena África”, região formada pelos bairros da Zona Portuária do Rio de Janeiro e que, até o início do século XX, era ocupada por um grande contingente de negros libertos, escravos e remanescentes dos antigos Quilombos da Pedra do Sal, deu-se início ao evento com uma apresentação coreografada pela Cia. Rubens Barbot de Dança & Teatro. Em seguida, os apresentadores Luis Miranda e Valquíria Ribeiro deram início à entrega da premiação.

O Conselho do Prêmio Camélia da Liberdade é responsável pela indicação dos vencedores, que concorrem após árduo trabalho de pesquisa em todas as categorias. O júri é formado por sete membros notáveis em seus campos de atividades: o conselheiro estratégico do CEAP, babalawoIvanir dos Santos; o professor do curso de pós-graduação em História da UFRJ Álvaro Pereira do Nascimento; a doutora em Comunicação AzoildaLoretto da Trindade; a mestre em Comunicação e Cultura pela UFRJ Angélica Basthi; o diretor executivo da Incubadora Afro-Brasileira, Giovanni Harvey; a ouvidora da Fundação Petrobras de Seguridade Social, Vanda Maria de Souza Ferreira; e o procurador federal do Trabalho Wilson Prudente.

O babalawoIvanir dos Santos exalta a iniciativa do CEAP que, desde sempre, busca dar mais visibilidade ao processo de inclusão social de negros e negras. “A sociedade já tem o Camélia como uma referência, e o CEAP se alegra com isso. O tema ‘Pequena África’ é de extrema importância porque está diretamente ligado à implementação da Lei 10.639/03, que institui o ensino da História da África e da Cultura Afro-Brasileira, embora isso não aconteça como deveria.”

As atrações artísticas ficaram por conta dos cantores: Jorge Aragão, Nei Lopes, Altay Veloso, Juliana Diniz e os ogansBamgbala e Tião Casemiro.

Os momentos mais marcantes dessa edição foram protagonizados pela presença da Presidente da ANMA – Associação Nacional de Mídia Afro, Ignez Teixeira, que entregou o prêmio ao representante da CHESF, na categoria EMPRESA. O discurso do ator Milton Gonçalves, que recebeu junto com um grupo de atores da Novela Lado a Lado, o prêmio na categoria Veículo de Comunicação e a apresentação e o encantamento de Vó Maria, uma das personalidades premiadas.

Conheça os vencedores dessa edição em suas categorias:

 INSTITUIÇÃO DE ENSINO:

Ø  NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE RELAÇÕES RACIAIS E EDUCAÇÃO – NEPRE – UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO

Ø  UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ.

Ø  NÚCLEO NUER – UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

EMPRESA:

Ø  CHESF – CIA. HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO

PODER PÚBLICO:

Ø  GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Ø  PAB – PROGRAMA ANTONIETA DE BARRO

Ø  SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO:

Ø  Mídia Digital – INSTITUTO MÍDIA ÉTNICA

Ø  TV Brasil – PROGRAMA NOVA ÁFRICA

Ø  TV GLOBO – NOVELA LADO A LADO

Ø  Blog Mundo Afro – Jornal A TARDE

PERSONALIDADE:

Ø  PAULO RENATO PAIM

Ø  RUTH DE SOUZA

Ø  REVERENDO MARCOS AMARAL

Ø  VÓ MARIA

Com patrocínio da Petrobras, o CEAP reconhece e premia instituições de ensino, empresas, órgãos governamentais, veículos de comunicação e personalidades que apoiam a integração do negro na sociedade. Rede Globo, Record, Governo do Estado do Rio de Janeiro e Supremo Tribunal Federal (STF) estiveram na lista de concorrentes.Como em todos os anos, as atrações artísticas, literalmente, darão shows à parte.

O CEAP é uma instituição de excelência na batalha pela afirmação da identidade negra e de busca por inclusão social e política. Os combates à desigualdade e ao racismo são algumas das bandeiras defendidas. Ações que são postas em prática por meio de programas e projetos da instituição, sendo um deles o Projeto Camélia da Liberdade, cujo objetivo é a expansão e consolidação da Lei 10.639/03 e a identificação, reconhecimento e divulgação de iniciativas que promovem as Ações Afirmativas. Mais informações acesse o site www.ceaprj.org.br

Mais fotos do evento acesse a página do Programa Ori no facebook: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.440045032751630.1073741837.100002384124645&type=1

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *